Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.529,08
    -2,18 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Regiões metropolitanas poderão antecipar 5G para janeiro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Até 1º de janeiro do ano que vem, cerca de 420 municípios estarão aptos a receber a tecnologia 5G, informou o vice-presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) Moisés Moreira, em evento da Telebrasil (Associação Brasileira de Telecomunicações), na última quinta-feira (10).

O Gaispi, grupo da Anatel que acompanha a implementação do 5G no Brasil, permitiu que a agência desocupasse a faixa de 3,5 GHz ( Gigahertz) por conjuntos de cidade.

A autorização ampliou o número de municípios que vão ficar aptos a receber a tecnologia no começo do ano que vem. Antes disso, a liberação aconteceria somente nas cidades com mais de 500 mil habitantes.

De acordo com a Anatel, serão contempladas as regiões metropolitanas das capitais e municípios próximos de cidades com mais de 500 mil habitantes.

Segundo Moreira, são 26 cidades —11 delas distantes de capitais— e suas respectivas regiões. Esses municípios terão a faixa de 3,5 GHz, hoje usada por parabólicas e radiodifusores, liberada para que as operadoras que venceram o leilão explorem o serviço.

Claro, Vivo e Tim arremataram as principais faixas do leilão de 5G realizado em novembro do ano passado.

No meio do ano que vem, a liberação da faixa em cidades com mais de 200 mil habitantes também será por conjunto de cidades, de acordo com Moreira.

"Isso facilita o processo do ponto de vista logístico e do ponto de vista de economia do recurso público", afirmou, no evento. "Os mesmos veículos que estão nessas cidades grandes atendem as cidades menores no entorno."

As operadoras não têm a obrigação de instalar o recurso assim que a faixa seja liberada. Excluídos o Distrito Federal e as capitais, cidades com mais de 500 mil habitantes precisam ter a antena com 5G somente em julho de 2025, de acordo com o compromisso firmado no leilão. Mas Moreira acha que a instalação pode ser antecipada.

"Por uma questão de competição comercial, eu tenho certeza que essas cidades também terão as suas antenas ligadas nesse período", afirmou.

A Anatel confirma a expectativa de antecipação do serviço por email. "Espera-se que ocorram ativações de estações do 5G antecipadamente, tão logo a faixa esteja liberada, mesmo que não na proporção exigida para 31 de julho de 2025", afirma a agência.

A primeira cidade a receber o 5G foi Brasília, no início de julho deste ano. Todas as capitais e o Distrito Federal deveriam estar com a tecnologia até o final do mesmo mês, o que ocorreu apenas no início de outubro.

O atraso, segundo Moreira afirmou no evento, deveu-se à falta de semicondutores, causados pelos impactos da pandemia na logística global, e aos lockdowns na China, que sustentam uma política de Covid zero.