Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.424,79
    +1.217,99 (+2,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Região Sudeste criou 61% das startups brasileiras na última década, diz estudo

·2 minuto de leitura

A região brasileira que mais abriu empresas e startups de tecnologia foi a Sudeste, com pouco mais de 107,4 mil novos empreendimentos de janeiro de 2011 a dezembro de 2020. A conclusão é de um levantamento da DataHub, plataforma de inteligência de dados. Na última década, foram registrados 175,4 mil novos negócios em todo o Brasil; portanto, os números da região Sudeste correspondem a 60,9% do total.

As startups abertas nas demais regiões foram: 29,5 mil na Sul, 19,6 mil na Nordeste, 13,1 mil na Centro-Oeste; e 5,8 mil na Norte — os números ressaltam, dessa forma, como a grande concentração de renda nas regiões Sudeste e Sul impactam no avanço de seus ecossistemas. Na comparação com os dados da Norte, surgiram 18 vezes mais empresas na Sudeste.

O estado de São Paulo viu nascer cerca de 80,8 mil novas empresas de tecnologia, e, por isso, representa sozinho 72,25% da região. Só a capital paulista gestou 44,3 mil negócios durante o período. Outras cidades de destaque foram Rio de Janeiro (8,7 mil), Curitiba (6,8 mil), Belo Horizonte (5,7 mil) e Brasília (5,4 mil).

Imagem: Reprodução/Adeolu Eletu/Unsplash
Imagem: Reprodução/Adeolu Eletu/Unsplash

A pesquisa também mediu a geração de emprego no setor. Em dez anos foram criadas mais de 520 mil novas vagas com carteira assinada no país. Novamente o Sudeste liderou essa parte com um total de 292,9 mil postos de trabalho. Já a região com menos oportunidades foi o Norte do país, com 24,6 mil novas vagas.

A DataHub fez o levantamento a partir de 300 fontes de dados públicos, considerando as empresas do período estudado com a CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) ativa e ligada à tecnologia. Alguns dos exemplos de companhias de tecnologia que entraram na pesquisa foram desenvolvedoras de software sob encomenda, customizáveis e não customizáveis, consultoria em TI (tecnologia da informação) e suporte técnico.

"É inegável que a pandemia impactou o setor. Todas as mudanças pelas quais passamos nesse período, pessoas físicas e empresas, intensificou a necessidade de criar soluções para atender às novas demandas do dia a dia. Tivemos uma aceleração na transformação digital e há muito espaço ainda para crescer", comenta José Renato Raposo, diretor de operações da DataHub.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos