Região Norte depende mais de demanda externa e crédito

O Boletim Regional de Economia, divulgado nesta quinta-feira pelo Banco Central (BC), destaca que a estrutura da economia da região Norte está concentrada nas indústrias extrativa mineral e de eletrônicos. Em função disso, está mais dependente do dinamismo da demanda externa e de condições favoráveis no mercado de crédito. "Essa estrutura contribuiu para que os impactos do agravamento da crise mundial ocorressem com maior intensidade sobre a atividade econômica do Norte do que nas demais regiões.

"Esse ambiente, embora se refletisse na retomada incipiente da atividade econômica da região ao final do primeiro trimestre deste ano, registrou reversão importante a partir de meados do trimestre encerrado em junho, quando a relativa recuperação da economia mundial e o maior dinamismo das operações de crédito passaram a favorecer o desempenho das atividades industrial e varejista", diz o documento.

Neste cenário, o Índice de Atividade Econômica Regional da Região Norte (IBCR-N) aumentou 1,8% no trimestre encerrado em agosto, em relação ao finalizado em maio, quando recuara 1,2%, no mesmo tipo de comparação, considerados dados dessazonalizados, diz o Boletim. As vendas do comércio varejista, evidenciando aumentos em cinco dos sete Estados da região, com ênfase nos referentes ao Acre (4,4%), ao Pará (3,3%) e ao Amapá (2,4%).

Carregando...