Mercado abrirá em 3 h 15 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,44
    -0,06 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.625,90
    -10,30 (-0,63%)
     
  • BTC-USD

    18.663,24
    -1.519,49 (-7,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    426,94
    -32,20 (-7,01%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.857,75
    -126,84 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.158,75
    -175,00 (-1,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1186
    -0,0413 (-0,80%)
     

Refrigerante de cola pode comprometer a memória e o cérebro

O consumo de refrigerante de cola pode comprometer a memória e causar estresse oxidativo no cérebro. A informação vem de um estudo publicado na revista científica Experimental Gerontology. No artigo, os autores observaram um aumento significativo no estresse biológico no cérebro de ratos após 68 dias de consumo dessa bebida.

Os ratos foram divididos em dois grupos. O primeiro teve acesso à vontade a refrigerante de cola, enquanto o outro grupo apenas bebia água. Depois de 68 dias, os roedores foram submetidos a uma série de testes para avaliar a memória espacial e o comportamento, para identificar diferenças entre os grupos.

Nos ratos jovens (2 e 8 meses de idade), os refrigerantes causaram problemas de memória e resultaram em uma pontuação mais baixa nos testes, embora esse efeito não tenha sido observado nos ratos mais velhos. Os cientistas também analisaram o tecido cerebral dos animais, e notaram níveis mais altos de marcadores de estresse oxidativo nos ratos que beberam refrigerante.

Refrigerante de cola pode comprometer a memória e o cérebro (Imagem: Mae Mu/Unsplash)
Refrigerante de cola pode comprometer a memória e o cérebro (Imagem: Mae Mu/Unsplash)

Estudos anteriores que sugerem que o consumo de refrigerante está associado à neurodegeneração e deficiências cognitivas, com níveis mais altos de estresse oxidativo também fortemente ligados a um aumento no risco de demência.

O curioso é que, embora as dietas ricas em açúcar tenham sido associadas a resultados semelhantes, os ratos que beberam refrigerantes não apresentaram níveis mais altos de glicose no sangue. Isso significa que o resultado negativo para o cérebro se dá através de outras substâncias, e não exatamente o açúcar. Só que os pesquisadores ainda precisam entender o ocorrido. Logo, futuros estudos precisam ser conduzidos.

De qualquer forma, os autores do estudo recomendam abandonar o refrigerante de cola e aderir a hábitos mais saudáveis, como beber água com mais frequência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: