Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,82
    -0,54 (-1,03%)
     
  • OURO

    1.820,40
    -9,50 (-0,52%)
     
  • BTC-USD

    35.877,07
    -57,09 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    699,18
    -35,96 (-4,89%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.454,59
    -119,27 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.272,47
    -246,71 (-0,87%)
     
  • NASDAQ

    12.755,75
    -46,50 (-0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3929
    +0,0003 (+0,00%)
     

REFORME-SE: após pandemia, psicóloga troca apartamento na cidade por chácara e renova rotina

·1 minuto de leitura

A psicóloga Adriana Vicco, de 52 anos, saiu de São Caetano do Sul, região metropolitana de São Paulo, para passar a pandemia em uma chácara da família, localizada em Santa Branca, cidade de apenas 11 mil habitantes. Ela não imaginava o impacto que a mudança de ares teria na sua rotina: “o que era um lugar que eu escolhi por questão de segurança, acabou se tornando um lugar de paz, tranquilidade, no qual eu tirei da gaveta vários projetos”, conta ela.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Com sete quartos e três suítes, a casa já está na família há 40 anos — e conta com elementos que são únicos da história Vicco, como uma árvore plantada por seu irmão quando compraram a chácara. Desde que se mudou para lá, ela tem feito ajustes e transformado o espaço para honrar a memória familiar: “havia um sino que ficou 40 anos no chão, e na pandemia decidi pendurá-lo”, descreve ela.

Leia também

Em companhia da mãe e de ajudantes da casa, Adriana, que se considerava da cidade, hoje cuida da horta, do que se prepara na cozinha, observa o jardim e os pássaros, além de transitar entre duas estações de trabalho (uma dentro de casa, e uma na área da piscina) nas quais se dedica aos seus projetos.

“Uma coisa que eu nunca imaginei que eu conseguiria: morar no mato. Sou uma pessoa muito de cidade, e foi uma grata surpresa”, afirma ela. Agora, o plano é reformar todos os quartos, transformando a chácara para o maior conforto de todos da família que passarem por lá.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube