Mercado fechado

Refinaria Abreu e Lima, da Petrobras, faz sua terceira exportação de coque verde

André Ramalho
·1 minuto de leitura

Produto é usado como insumo na indústria siderúrgica A Petrobras informou que a Refinaria Abreu e Lima (Rnest) exportou em setembro 31,5 mil toneladas de coque verde de petróleo para os Estados Unidos. Segundo a companhia, esta é a terceira operação de exportação do produto, grau anodo, realizada este ano pela refinaria, à venda pela estatal. A petroleira destaca que a Rnest vem se consolidando na rota internacional do coque verde de petróleo. A Rnest responde, em 2020, por 35% das exportações de coque da companhia. Em nota à imprensa, a diretora de refino e gás da Petrobras, Anelise Lara, disse que o coque verde de petróleo produzido pela Petrobras tem baixo teor de enxofre e que a expectativa é realizar novas exportações ainda este ano. A previsão é que um novo lote de 30 mil toneladas seja exportado para a China, em novembro, pela Rnest. Em julho, a refinaria já havia exportado 31,5 mil toneladas de coque verde de petróleo para a Rain Carbon, calcinador dos Estados Unidos. Segundo a Petrobras, a operação resultou numa margem de US$ 1,5 milhão na receita da companhia, em comparação à venda no mercado nacional, já descontados todos os custos logísticos adicionais. As exportações de coque anteriores ocorreram em agosto de 2019 para a China (31,1 mil toneladas) e em abril/maio deste ano para os Estados Unidos (31,5 mil toneladas). A Rnest produz os dois tipos de coque verde: grau siderúrgico (habitualmente comercializado no mercado nacional, como agente redutor na metalurgia de ferro e aço e em outras aplicações industriais); e grau anodo (matéria-prima para obtenção de coque calcinado, utilizado na fabricação de anodos para produção de alumínio). Alexandre Cassiano/Agência O Globo