Mercado abrirá em 3 h 34 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,51
    -0,23 (-0,29%)
     
  • OURO

    1.653,40
    -2,20 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    19.221,93
    +147,03 (+0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    439,79
    -4,74 (-1,07%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.016,62
    -1,98 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.364,00
    -12,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0738
    -0,0238 (-0,47%)
     

Refeição ficou 17,4% mais cara na pandemia; PF custa R$ 31 no país

Refeição completa ficou 17,4% mais cara na pandemia; P.F. custa R$ 31 reais no país
Refeição completa ficou 17,4% mais cara na pandemia; P.F. custa R$ 31 reais no país
  • Em abril deste ano, a refeição completa custou R$ 40,64;

  • Em fevereiro de 2020, custava R$ 34,62;

  • O Sudeste é a região onde comer fora custa mais caro.

Pesquisa da ABBT (Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador) apontou que, durante a pandemia, almoçar fora de casa ficou 17,4% mais caro para o trabalhador brasileiro. De acordo com o levantamento, uma refeição completa, composta por comida, bebida, sobremesa e café, custou em média R$ 40,64 de fevereiro a abril deste ano.

De dezembro de 2019 a fevereiro de 2020, antes da crise sanitária atingir o país, o valor era de R $34,62, conforme pesquisa realizada pela ABBT à época. Ou seja, em números absolutos, houve um aumento de R$ 6,02 (17,4%) durante o período de março de 2020 a abril de 2022.

Diante da realidade de R$ 40,64 gasto por almoço, em 22 dias utéis, um trabalhador teria que gastar R$ 894,08 por mês para se manter alimentado. Esse montante corresponde a mais de um terço (35%) de um salário médio no país no primeiro trimestre deste ano e quase ¾ do atual salário mínimo no país (R$ 1212).

Segmentando por tipos de refeição, o estudo aponta que o preço médio do prato feito – o popular P.F. – foi de R$ 30,59. Já ala carte teve um preço bem mais salgado: R$ 64,83. Também compõem a lista, o self-service e a refeição executiva custando em média R$ 35,91 e R$ 50,23 respectivamente.

Dentre as regiões do país, o Sudeste foi a que registrou o maior preço médio para o almoço: R$ 42,83. O Centro-Oeste, por sua vez, registrou o menor: R$ 34,20.

O levantamento também analisou o preço do almoço completo nas capitais do pais. Dentre elas, São Luís (MA)- com valor médio de R$ 43,27 por refeição- foi a cidade que registrou o maior preço. O menor valor foi encontrado em Goiânia (GO), R$ 27, 94 por alimentação. São Paulo, por sua vez, ocupou a sexta colocação, sendo necessário desembolsar R$ 43,27.