Mercado fechará em 37 mins

Reduto bolsonarista, Santa Catarina concentra bloqueios golpistas

PORTO ALEGRE, RS (FOLHAPRESS) - Estado em que Jair Bolsonaro (PL) recebeu 69,27% dos votos, Santa Catarina é também um dos que mais enfrentam problemas com bloqueios de rodovias por atos bolsonaristas. Conforme a PRF (Polícia Rodoviária Federal) local, até a tarde desta quarta-feira (2) havia 35 pontos interdições em rodovias do estado.

Em consequência, o estado está entre os mais afetados pelas consequências das ações antidemocráticas. Cerca de 70% dos postos estão sem combustíveis, segundo o sindicato local dos revendedores.

Nas redes sociais, muitos relatos de postos fechados, inclusive na capital Florianópolis. O Sindipetro-SC diz que duas bases de abastecimento no estado foram reabertas e, por isso, espera que o fornecimento comece a ser retomado ainda nesta quarta-feira (2).

Fábricas no estado também estão com a produção paralisada, em decorrência dos bloqueios.

A via mais afetada, às 17h, era a BR-470, com dez pontos de bloqueio em cerca de 175 quilômetros.

Desde a madrugada, a PRF conta com o apoio da Brigada Militar para dispersar protestos, caso os manifestantes não liberem as rodovias imediatamente.

Na rodovia SC-163, em São Miguel do Oeste, manifestantes que realizaram o bloqueio cantaram o hino nacional fazendo um gesto que lembra a saudação nazista "sieg heil", que significa "salve a vitória", nesta quarta.

O gesto, usado nas décadas de 1930 e 1940 por seguidores de Adolf Hitler (1889-1945) e que passou a ser alvo de fortes críticas em redes sociais, já é objeto de investigação do Ministério Público Estadual de Santa Catarina.

O órgão informou que já trabalha para identificar as pessoas que fizeram a saudação semelhante à nazista.

O último trecho liberado no estado, às 17h, foi o da BR-101 em Maracajá, no sul do estado, em que havia um bloqueio parcial. A PRF teve de usar gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Mais cedo, por volta das 15h, também foi preciso ação da Tropa de Choque para dispersar bloqueio da BR-101 em Içara.

Desde a segunda-feira, 33 pontos de bloqueio foram dispersados pela PRF a partir da determinação do STF (Supremo Tribunal Federal).

A Fetrancesc (Federação das Empresas de Transportes de Cargas e Logística), responsável por mais de 20 mil empresas de transporte catarinenses, divulgou nota em que disse "reconhecer o direito à livre manifestação nos termos da lei", mas reprovando bloqueios que impedem o transporte de "insumos básicos, exemplo de alimentos, medicamentos, combustíveis e suprimentos para hospitais".

Ainda na segunda-feira, em entrevista a uma emissora de TV, o governador eleito Jorginho Mello (PL) disse não concordar "com manifestação, quebradeira, essas coisas" por avaliar que não dão resultado. Disse: "Se mudasse alguma coisa, mas não vai mudar nada. Sou um homem da paz, prego a paz".

Jorginho pretendia viajar nesta quarta-feira e descansar até o final da semana, mas cancelou a agenda para acompanhar os desdobramentos dos protestos.

O governador de SC, Carlos Moisés (Republicanos), se manifestou no Twitter dizendo que a "garantia do direito de livre manifestação deve conviver com a garantia da liberdade de ir e vir da população" e que o estado empregaria "todos os meios legais e necessários" para desbloquear as interdições.

Em nota, o empresário Luciano Hang, das lojas Havan e cabo eleitoral de Jorginho e de Bolsonaro, negou envolvimento nas manifestações, mas não as repudiou.

Um dos bloqueios que exigiu uso da força para ser dispersado ocorreu em frente a uma de suas lojas, à margem da BR-101, em Palhoça. O bloqueio vigorava desde domingo e foi dispersado na manhã desta quarta-feira (2).

As interdições causaram prejuízos em diferentes setores. O governo de Santa Catarina teve de suspender a distribuição de vacinas, e a distribuição de insumos para as merendas da rede estadual foi prejudicada.

As empresas de transporte de passageiros intermunicipais catarinenses também cancelaram as viagens de terça-feira (1º) e suspenderam a venda de passagens para destinos que necessitavam passar por estradas do estado.

SANTA CATARINA

Bloqueadas:

- BR-101, km 6, em Garuva, bloqueio total

- BR-101, km 25, em Joinville, bloqueio total

- BR-101, km 83, em Barra Velha, bloqueio parcial

- BR-101, km 138, em Balneário Camboriú, bloqueio parcial

- BR-101, km 150, em Itapema, bloqueio parcial

- BR-101, km 381, em Içara, bloqueio total

- BR-101, km 445, em Santa Rosa do Sul, bloqueio parcial

- BR-116, km 7, em Mafra, bloqueio total

- BR-116, km 34, em Itaiópolis, bloqueio parcial

- BR-116, km 54, em Papanduva, bloqueio parcial

- BR-116, km 138, em Santa Cecília, bloqueio parcial

- BR-153, km 11, em Água Doce, bloqueio total

- BR-153, km 65, em Irani, bloqueio parcial

- BR-153, km 97, em Concórdia, bloqueio parcial

- BR-158, km 139, em Palmitos, bloqueio total

- BR-280, km 4, em São Francisco do Sul, bloqueio parcial

- BR-280, km 55, em Guaramirim, bloqueio total

- BR-280, km 80, em Corupá, bloqueio parcial

- BR-280, km 114, em São Bento do Sul, bloqueio parcial

- BR-280, km 120, em São Bento do Sul, bloqueio parcial

- BR-280, km 232, em Canoinhas, bloqueio parcial

- BR-289, km 306, em Porto União, bloqueio tota

- BR-282, km 394, em Joaçaba, bloqueio parcial

- BR-282, km 520, em Xaxim, bloqueio total

- BR-282, km 535, em Chapecó, bloqueio total

- BR-470, km 7, em Navegantes, bloqueio total

- BR-470, km 22, em Ilhota, bloqueio total

- BR-460, km 35, em Gaspar, bloqueio total

- BR-470, km 45, em Blumenau, bloqueio total

- BR-470, km 57, em Pomerode, bloqueio total

- BR-470, km 67, em Indaial, bloqueio total

- BR-470, km 139, em Rio do Sul, bloqueio total

- BR-470, km 150, em Agronômica, bloqueio total

- BR-470, km 159, em Trombudo Central, bloqueio parcial

- BR-470, km 173, em Pouso Redondo, bloqueio parcial