Mercado fechará em 6 hs
  • BOVESPA

    120.691,02
    +629,03 (+0,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.794,45
    -73,17 (-0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,28
    -0,07 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.784,00
    -9,10 (-0,51%)
     
  • BTC-USD

    54.473,84
    -991,09 (-1,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.268,49
    +25,44 (+2,05%)
     
  • S&P500

    4.162,18
    -11,24 (-0,27%)
     
  • DOW JONES

    34.013,79
    -123,52 (-0,36%)
     
  • FTSE

    6.910,71
    +15,42 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.878,50
    -40,75 (-0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6098
    -0,0922 (-1,38%)
     

Redução de tarifa de eletrônicos e bens de capital gerará queda de 2% a 5% dos preços no longo prazo, diz secretário

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Economia projeta que a redução de 10% nas tarifas de importação de bens de capital, de informática e de telecomunicações anunciada nesta quarta-feira acarrete, no longo prazo, uma queda de preços da ordem de 2% a 5% para o consumidor final.

"Nossa estimativa, de longo prazo para queda de preços, é da ordem de 2%", explicou Lucas Ferraz, secretário do Comércio Exterior do Ministério da Economia, em coletiva virtual, acrescentando depois que o impacto pode chegar a 5%.

Ainda de acordo com Ferraz, com a redução anunciada da tarifa sobre esses produtos, as projeções apontam para acréscimo ao Produto Interno Bruto (PIB) doméstico, em um intervalo de até 15 anos, da ordem de 150 bilhões de reais.

"Estaríamos também adicionando às nossas exportações desse mesmo universo, de forma cumulativa, algo ao redor de 70 bilhões (de reais). Para nossas importações, 100 bilhões (de reais)", completou, afirmando que nesse mesmo horizonte, a pasta projeta criação de 20 mil postos de trabalho e aumento de investimentos na ordem de 80 bilhões de reais.

Segundo Ferraz, a medida anunciada implica redução de arrecadação da ordem de 250 milhões de dólares ao ano. Ele também afirmou que o movimento anunciado pelo ministério nesta quarta será acompanhado de uma reforma "mais geral".

"Nossa ideia é produzirmos um movimento, em toda Tarifa Externa brasileira, que não se restringirá apenas a bens de capital e bens de informática e telecomunicações, mas abrangerá, também, todo universo da Tarifa Externa Comum (TEC)", complementou.

(Por Gabriel Ponte)