Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.558,12
    -128,10 (-0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Rede social de Donald Trump 'pena' para encontrar funcionários

Truth Sociald: rede social é divulgada por Trump como uma alternativa às redes sociais existentes
Truth Sociald: rede social é divulgada por Trump como uma alternativa às redes sociais existentes
  • Empresa não estava disposta a contratar programadores que fossem moderados ou progressistas;

  • Truth Social é divulgada por Trump como uma alternativa às redes sociais existentes;

  • Trabalhadores contratados pela empresa tentaram omitir o fato de seus perfis em redes sociais.

A empresa por trás do aplicativo de rede social de Donald Trump, Truth Social, teve grandes dificuldades na hora de encontrar e contratar programadores suficientes, aponta uma reportagem da Reuters. O motivo seria a recusa em contratar trabalhadores progressistas, ou com visões de esquerda.

Lançado na App Store em fevereiro, a rede social foi divulgada como uma alternativa à aquelas criadas e gerenciadas pelas Big Tech, grandes companhias de tecnologia, que Trump afirma censurar opiniões de direita.

Três fontes familiarizadas com as operações da Trump Media and Technology Group (TMTG), empresa responsável pelo desenvolvimento da rede, afirmaram à Reuters que houve situações em que os recrutadores vasculharam as mídias sociais de candidatos para avaliar suas posições políticas.

As fontes informaram também que a dificuldade para encontrar funcionários também se deu pela indisposição de programadores com visões políticas moderadas, ou de esquerda, de trabalhar para a empresa.

A reportagem da Reuters também destacou que muitos dos contratados na TMTG tomaram medidas para esconder o fato, como não omitir o novo emprego de suas biografias nas redes sociais. Uma fonte da publicação afirmou que o motivo para fazer isso foi o medo de que a associação à empresa possa prejudicar seu futuro na carreira.

Em resposta, a TMTG afirmou que a reportagem da Reuters continha "declarações falsas e difamatórias" e disse que "inclui afirmações enganosas e omite fatos materiais", mas não especificou quais trechos são falsos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos