Mercado fechará em 1 h 29 min
  • BOVESPA

    122.356,39
    +475,57 (+0,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.349,23
    +129,97 (+0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,39
    +1,02 (+1,56%)
     
  • OURO

    1.868,30
    +30,20 (+1,64%)
     
  • BTC-USD

    42.978,30
    -3.334,16 (-7,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,16
    -4,76 (-0,40%)
     
  • S&P500

    4.156,50
    -17,35 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    34.311,72
    -70,41 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.235,50
    -151,50 (-1,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3968
    -0,0072 (-0,11%)
     

Ela transformou R$ 500 em R$ 12 milhões com rede de semi-joias

Colaboradores Yahoo Finanças
Samantha Esser fundou revenda de semi-joias que fatura R$ 12 milhões ao ano (Foto: Divulgação)
Samantha Esser fundou revenda de semi-joias que fatura R$ 12 milhões ao ano (Foto: Divulgação)

Por Melissa Santos

Samantha Esser começou a empreender por necessidade. Grávida aos 16 anos em Ubá, cidade do interior de Minas Gerais, precisou virar adulta da noite para o dia. E o que fez a diferença na sua vida foi o empreendedorismo.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Para Samantha, a gravidez na adolescência a fez querer virar a página. Ela, então, evoluiu para uma carreira como diretora de vendas de uma multinacional. Após um período, ela estava descontente com as regras e os processos internos. "Adoeci de tanto trabalhar. Tinha muita exigência e pouca recompensa. Era das 7h às 00h. Cheguei a ter um episódio de hipoglicemia e fui internada. Já tinha dois filhos e não tinha tempo para nada", diz.

Leia também

Após ficar abalada por tudo que passou, ela começou a vender bijuterias em paralelo ao trabalho. Ela já estava decidida que queria sair da empresa, mas começou pegando algumas peças para revender. "Logo no primeiro mês já tinha pessoas que queriam que eu entregasse peças consignadas para que elas revenderem. Assim, já comecei a correr atrás da minha primeira compra", conta.

Ela, então, resolveu pedir demissão e começou a vender os produtos dentro do próprio apartamento. Em um ano, já estava com quase 200 revendedores e percebeu que tinha um bom negócio nas mãos. Ela atendia o dia inteiro no apartamento que morava até receber uma carta de despejo por usar sua moradia como escritório comercial.

Samantha montou um showroom para sua marca no centro da cidade com cerca de 50 m2. A inauguração teve direito a champanhe e buffet. "As pessoas viram o quanto meu negócio estava crescendo", relembra.

Após essa mudança de espaço, ela fez alguns cursos e começou a estudar o mercado e tomou a decisão de recolher os mostruários das revendedoras para só vender atacado. Foi então que surgiu a primeira oportunidade de comprar em atacado na China. "Era muito complicado. Existia uma compra mínima de R$ 80 mil dólares. Fora que era arriscado. Conhecia muita gente que tinha levado golpe. Afinal, você precisa comprar e pagar antecipado e a compra demora quase 90 dias para chegar", fala.

A operação deu certo e, em 2014, Samantha deu mais um passo ao montar o e-commerce. "As vendas por lá são um dos nossos carros-chefe. Vendemos até para fora do país, como Europa e Austrália", conta.

Há dois anos e meio atrás, ela resolveu inaugurar uma segunda unidade em São Paulo. "Montamos um espaço maior para atender a demanda e super próximo da maior feira de semi-joias da América Latina", fala. Atualmente, a marca só vende em atacado para lojistas do Brasil e do mundo. “Também vendemos para autônomas que revendem. Existem dois perfis nesse sentido: as que vivem das revendas, sem loja fixa, e revendem R$ 50 mil por mês”, explica.

Desde então, a empreendedora abriu um showroom em Limeira, além de contar com um distribuidor que atende todo Rio Grande do Sul. "Ainda esse ano também vamos vender no Soho, em nova York. Eu sinto que só estou começando e tenho que criar minhas oportunidades, principalmente nesse mercado veloz", fala a empreendedora que em 2018 faturou uma média de 12 milhões.