Mercado abrirá em 3 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,30
    +0,25 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.700,40
    +22,40 (+1,33%)
     
  • BTC-USD

    54.202,48
    +4.312,64 (+8,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.093,30
    +69,10 (+6,75%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.744,52
    +25,39 (+0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.773,23
    +232,40 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.565,25
    +268,00 (+2,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9831
    +0,0233 (+0,33%)
     

Rede particular de ensino pode começar hoje ano letivo no Rio

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil
·2 minuto de leitura

A rede particular de ensino no município do Rio de Janeiro está autorizada a iniciar o ano letivo hoje (1º). Cabe à cada escola definir se as aulas presenciais retomam ainda nesta segunda-feira ou ao longo da semana.

O Sindicato dos Estabelecimentos de Educação Básica do Município do Rio de Janeiro (Sinepe-Rio) informou que orienta as instituições de ensino a seguir as determinações dos órgãos competentes de saúde do município e do estado de acordo com as bandeiras que estão em vigor relacionadas ao risco da disseminação da covid-19.

“Entendemos a necessidade dos alunos manterem um convívio sócio-afetivo tão prejudicado nesse período de pandemia, mas de forma nenhuma podemos esquecer que ainda estamos vivendo esse momento de pandemia”, disse o diretor do Sinepe-Rio, Lucas Werneck.

Rede estadual

Na rede estadual de ensino do Rio de Janeiro, o ano letivo começa no dia 8 de fevereiro, quando será iniciado o processo de diagnóstico dos alunos de todas as séries com o objetivo de entender as possíveis lacunas no aprendizado deixadas ao longo de 2020. Aulas mesmo, só em março, mas ainda sem data definida.

Nesse primeiro bimestre letivo, a proposta da Secretaria Estadual de Educação será a de desenvolver competências e habilidades do currículo essencial, dando continuidade aos estudos de 2020.

“A ideia é trabalhar os anos de 2020 e 2021 como um continuum escolar, de maneira que os conteúdos de 2020 sejam ensinados em 2021, conforme recomendação do Conselho Nacional de Educação (CNE). A partir de maio, será iniciado um trabalho com os conteúdos referentes à série ou ao ano de escolaridade em que o aluno está matriculado”, disse a pasta.

Para a volta das atividades escolares, a secretaria estadual considerou duas possibilidades de modelos de ensino: híbrido (remoto e presencial, com turmas em sala de aula em dias alternados) ou somente remoto, a serem adotados de acordo com as recomendações do Comitê Científico e das autoridades de saúde.

Rede municipal

Na rede municipal de ensino da capital fluminense, a volta às aulas terá duas etapas iniciais: remota, a partir de 8 de fevereiro, e presencial, a partir de 24 de fevereiro. As aulas presenciais estão divididas em fases. Na primeira fase, voltam parcialmente alunos da pré-escola, 1º e 2º anos. Na segunda, voltam parcialmente alunos de creches, do 3º ao 6º anos e 9º ano. Na 3ª e última etapa, mais alunos de creches e do 6º ano, alunos do 8º ano e o Programa de Educação de Jovens e Adultos e Classes Especiais.

Para evitar aglomeração, o que pode facilitar a transmissão do novo coronavírus, a quantidade de alunos nas unidades estará condicionada às condições epidemiológicas de cada região administrativa da cidade do Rio. Se o risco estiver moderado (Bandeira Amarela), as unidades escolares poderão receber 75% de seus alunos. Se estiver alto (Bandeira Laranja), 50% de sua capacidade. E se estiver muito alto (Bandeira Vermelha), 30% da capacidade.

Ouça na Radioagência Nacional: