Mercado fechado

Rede de mercados Extra não vai mais existir

·3 min de leitura
Assaí Atacadista (Divulgação)
Assaí Atacadista (Divulgação)
  • Assaí deve transformar unidades do Extra em marcas de “atacarejo”;

  • GPA anuncia que não continuará no ramo de hipermercados;

  • Decisão não afeta os Mercados Extra, que continuarão com o GPA.

Um acordo que confirmou a compra por parte do Assaí de 71 lojas do hipermercado Extra junto ao Grupo Pão de Açúcar (GPA), com o valor da transação totalizado em R$ 5,2 bilhões. A operação prevê que essas unidades devem se converter de hipermercados para os chamados “atacarejos”, e a operação vai sair do GPA, para agora estar sob o total comando do Assaí.

O Assaí também declarou que, do preço total do valor estimado da operação, cerca de R$ 4 bi serão parcelados pelo Assaí ao Pão de Açúcar, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2024. O acordo prevê a cessão ao Assaí tanto de lojas Extra Hiper com imóveis próprios, como locados de terceiros, além de seus respectivos contratos de locação. A compra também pode envolver equipamentos existentes nas lojas Extra.

No comunicado ao mercado, o Assaí informa que celebrou memorando de entendimentos com um fundo imobiliário “com a interveniência e garantia do Assaí, regulando a alienação de 17 imóveis próprios do Pão de Açúcar”. O preço estimado de venda desses imóveis, segundo o Assaí, é de R$ 1,2 bilhão e será pago pelo fundo ao Grupo Pão de Açúcar, perfazendo o preço total da transação.

A bandeira Extra Hiper será descontinuada e as lojas não envolvidas na operação serão transformadas pelo Grupo Pão de Açúcar em outras bandeiras com maior potencial de rentabilidade. O GPA é dono das marcas Pão de Açúcar, Extra e CompreBem, além das redes Minuto e Mercado Extra, versões reduzidas de Pão de Açúcar e Extra, respectivamente.

A marca Extra não desaparecerá completamente do ramo, uma vez que o Grupo Pão de Açúcar tem como projeto manter, ao lado do Pão de Açúcar e das lojas Minuto, a rede Mercado Extra, uma versão menor do Extra Hiper, que a partir desta compra, deixa de existir completamente.

Leia também:

O presidente do GPA, Jorge Faiçal, disse, em comunicado à imprensa, que a transação representa uma oportunidade de intensificar o foco dos negócios do conglomerado nos segmentos premium, com as bandeiras Pão de Açúcar, Minuto e Mercado Extra.

Já Belmiro Gomes, presidente do Assaí, argumentou em entrevista ao Estadão, que a operação irá acelerar a expansão do formato de atacarejo. Segundo ele, as bandeiras têm hoje baixa sobreposição de lojas. Ao todo são cerca de 450 mil metros quadrados de área de vendas que estão localizadas em capitais ou regiões metropolitanas.

A expectativa é de que as 71 lojas compradas, que eram da rede Extra Hiper, que têm hoje cerca de R$ 8,9 bilhões em faturamento anual, passem a ter R$ 25 bilhões depois da conversão para a marca Assaí. Com a compra dessas 71 unidades e a expansão da marca, Gomes espera chegar a R$ 100 bilhões de faturamento em 2024.

"Embora o mercado de atacarejo tenha avançado muito nos últimos anos, o mercado imobiliário estava aquecido. A maior parte das lojas de 'cash & carry' (atacarejo) não está em regiões centrais pela falta de disponibilidade de terrenos grandes", declarou Gomes ao Estadão. "Como as lojas eram do mesmo grupo, a sobreposição de pontos comerciais é baixa", afirmou o presidente do Assaí. As lojas da rede Extra Hiper devem passar definitivamente ao Assaí em janeiro de 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos