Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.477,79
    +432,12 (+1,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Rede da Starlink, de Elon Musk, será inutilizável para 5G

Aparelhos da SpaceX ficarão inutilizáveis se outra empresa usar a mesma frequência de rádio (Nikolas Kokovlis/NurPhoto via Getty Images)
Aparelhos da SpaceX ficarão inutilizáveis se outra empresa usar a mesma frequência de rádio (Nikolas Kokovlis/NurPhoto via Getty Images)
  • SpaceX tem mais de 400 mil clientes em 36 mil países do mundo;

  • Empresa de Musk acusou a concorrente de mentir para autoridades americanas;

  • Problema estaria na sensibilidade dos aparelhos necessários para captar a rede via satélite.

A SpaceX afirmou que seu serviço de internet via satélite, Starlink, ficará paralisado caso as redes 5G sejam permitidas de usar uma certa frequência de rádio. Atualmente a empresa conta com mais de 2.400 satélites que transmitem banda larga em alta velocidade para seus usuários nos EUA utilizando a banda 12 GHZ.

Em nota a seus clientes, a empresa de Elon Musk alertou aos clientes que os planos da Dish Network, de utilizar o espectro de 12GHz para seu serviço de telefonia e internet móvel, irá causar problemas para mais de três quartos dos clientes da Starlink.

A SpaceX enviou à Comissão Federal de Comunicação americana (FCC), agência regulatória similar à Anatel, um estudo que demonstraria que os equipamentos da Starlink não funcionariam corretamente se a rede da Dish recebesse autorização para usar a mesma frequência.

“Se os esforços de lobby da Dish forem bem-sucedidos, nosso estudo mostra que os clientes do Starlink sofrerão interferência prejudicial em mais de 77% do tempo e interrupção total do serviço em 74% do tempo, tornando o Starlink inutilizável para a maioria dos americanos”, escreveu a empresa de Musk.

De acordo com o diretor sênior de política de satélites da Space X, David Goldman, o problema está na alta sensibilidade dos equipamentos utilizados pelos consumidores das redes de satélites, que ficaria danificado caso recebesse sinais de uma rede terrestre de alta potência. Esses equipamentos não são facilmente substituíveis devido às restrições internacionais de energia nas transmissões de downlink via satélite.

A empresa de Musk ainda pediu ao FCC que investigasse se a Dish "apresentou relatórios intencionalmente enganosos” a autoridades americanas. A seus clientes, a SpaceX afirmou que a Dish Network emprega lobistas pagos que "estão tentando enganar a FCC com análises defeituosas na esperança de obscurecer a verdade".

Atualmente a SpaceX tem mais de 400 mil clientes em 36 países ao redor do mundo, com planos de expandir para uma cobertura global. Enquanto isso, a Dish tem 8 milhões de assinantes de rede sem fio nos Estados Unidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos