Mercado abrirá em 5 h 29 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.873,70
    +7,20 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    34.634,52
    -28,10 (-0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    685,73
    +5,83 (+0,86%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.927,11
    -35,36 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.364,00
    +69,75 (+0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    +0,0097 (+0,15%)
     

Rede de abastecimento da Irlanda do Norte à beira do 'colapso' após Brexit

·2 minuto de leitura
Porto de Holyhead em Anglesey, no norte do País de Gales, em 2 de janeiro de 2021

A província britânica da Irlanda do Norte vê sua rede de abastecimento se aproximar do "colapso", devido aos novos controles pós-Brexit que estão reduzindo o fluxo de carga, alertou uma associação de caminhões nesta segunda-feira(11).

Os supermercados "têm enfrentado dificuldades consideráveis" para encher suas prateleiras desde 1º de janeiro, quando terminou o período de transição e novos controles alfandegários foram impostos, disse à AFP John Martin, chefe da Associação de Transporte Rodoviário da Irlanda do Norte(RHA).

“Algumas empresas decidiram parar de fornecer à Irlanda do Norte devido a incertezas ou atrasos”, explicou.

Os volumes de carga, também impactados por restrições ligadas à pandemia, representam "entre 30 e 40% do volume normal" e o sistema "está literalmente a dias do colapso", alertou.

A rede de supermercados Sainsbury's informou na semana passada que "um pequeno número de produtos" estava "temporariamente indisponível" na Irlanda do Norte, "aguardando a confirmação dos procedimentos de fronteira".

Os efeitos do Brexit começaram a ser percebidos a partir de 1º de janeiro, quando o Reino Unido abandonou por completo o mercado comum e a união aduaneira europeia.

Graças a um acordo especial, a Irlanda do Norte continua a operar dentro da união aduaneira e do mercado único para evitar o ressurgimento de uma fronteira dura com a vizinha República da Irlanda, um membro da UE.

No entanto, segundo Martin, as empresas preferem não exportar para a Irlanda do Norte e os despachantes aduaneiros enfrentam um novo programa desenhado pelo governo britânico para gerenciar documentos de importação que atingiu "sua capacidade máxima".

Entre sexta e terça-feira, a companhia de ferries Stena Line cancelou quatro travessias entre Dublin e País de Gales, destacando que "problemas na rede de abastecimento levaram a uma queda significativa nos volumes de carga."

Na semana passada, a Irish Revenue Agency observou que muitos importadores "subestimaram significativamente os preparativos para o Brexit."

jts-acc/eg/jc