Mercado abrirá em 4 h 25 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,27
    -0,12 (-0,32%)
     
  • OURO

    1.883,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    13.214,06
    -27,90 (-0,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,39
    -11,30 (-4,14%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.570,05
    -138,75 (-0,56%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.250,25
    +117,50 (+1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7392
    +0,0048 (+0,07%)
     

Recuperação no setor de viagens e Adidas apoiam ações europeias apesar de dados mistos

Por Sruthi Shankar
·2 minutos de leitura
Bolsa de Londres
Bolsa de Londres

Por Sruthi Shankar

(Reuters) - As bolsas europeias subiram nesta quarta-feira, com uma recuperação nas ações de viagens e ganhos na Adidas e outras grandes marcas esportivas ofuscando dados que destacaram um caminho instável para a recuperação econômica da zona do euro.

Com os casos de Covid-19 aumentando novamente na Europa, países como Reino Unido voltaram a adotar restrições para limitar a propagação do vírus, desencadeando a pior liquidação em três meses para o índice STOXX 600 na segunda-feira.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,55%, a 1.396 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,55%, a 360 pontos, recuperando-se por uma segunda sessão das perdas.

Uma pesquisa do IHS Markit divulgada mais cedo mostrou que o crescimento empresarial da zona do euro foi interrompido em setembro, quando novas restrições para conter o ressurgimento de infecções por Covid-19 pressionaram a indústria de serviços, mais do que compensando o maior crescimento industrial em dois anos na região.

No entanto, os investidores contavam com mais estímulos de bancos centrais e governos para combater as consequências econômicas da crise de saúde.

As ações de viagens se recuperaram após uma série de perdas de quatro dias, com a Lufthansa, da Alemanha, subindo 1,6% após a notícia de que a companhia aérea planeja disponibilizar testes rápidos do antígeno da Covid-19 para seus passageiros em outubro.

A Adidas saltou 4,4%, enquanto a Puma e a JD Sports ganharam cerca de 4% cada depois que a fabricante de roupas esportivas norte-americana Nike relatou fortes ganhos e previu vendas melhores do que o esperado para 2020.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 1,20%, a 5.899 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,39%, a 12.642 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,62%, a 4.802 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,18%, a 18.929 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,08%, a 6.654 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,84%, a 4.087 pontos.