Mercado fechado

Recuperação da demanda por óleo e gás leva BP a reduzir prejuízo em quase 40%

Allan Ravagnani
·2 minuto de leitura

A petrolífera britânica registrou uma perda de US$ 450 milhões no terceiro trimestre de 2020 Bloomberg A petrolífera britânica BP registrou um prejuízo líquido de US$ 450 milhões no terceiro trimestre de 2020, um resultado 39% menor do que a vista no mesmo período de 2019 e 97% abaixo do prejuízo bilionário registrado no segundo trimestre deste ano (US$ 16,85 bilhões). A receita líquida da companhia somou US$ 44,15 bilhões no período, uma queda de 35% ante o mesmo trimestre de 2019, mas uma alta de 40% ante os números do segundo trimestre deste ano. Segundo a empresa, o preço mais baixo do petróleo durante o trimestre, em média US$ 43 o barril do Brent, continuou pressionando as margens durante o período. A BP, no entanto, afirmou que a empresa foi beneficiada pela recuperação dos preços e da demanda do petróleo e gás. A divisão de exploração e produção (upstream) iniciou uma recuperação e atingiu um Ebit (lucro antes de juros e impostos) de US$ 878 milhões no terceiro trimestre, revertendo o Ebit negativo de US$ 8,5 bilhões que teve no segundo trimestre. O conselho da companhia britânica aprovou o pagamento de US$ 0,0525 por ação em dividendos para o período, ainda abaixo dos US$ 0,1025 do ano anterior. No comunicado, a BP apontou que a recuperação gradual da demanda por petróleo deve continuar, impulsionada pelo consumo na Ásia, e destacou que a Agência Internacional de Energia prevê um aumento de cerca de seis milhões de barris para 2021. Além disso, que os cortes de produção da OPEP+ estão ajudando a equilibrar oferta e demanda. As perspectivas para a margem de refino permanecem desafiadoras, segundo a empresa, uma vez que os estoques permanecem cheios em níveis recordes e a pandemia continua pesando sobre o consumo de gasolina e combustível de aviação. Quanto aos desinvestimentos, a BP disse que está se aproximando da metade da meta de receita de US$ 25 bilhões até 2025, incluindo vendas concluídas e acordadas. A venda de US$ 5 bilhões de sua unidade petroquímica deve ser concluída até o final de 2020.