Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.305,17
    -159,10 (-0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

Receita Federal apreende mais de 100 iPhones contrabandeados

Ação faz parte de uma iniciativa para coibir o comércio ilegal. (Divulgação/Receita Federal)
Ação faz parte de uma iniciativa para coibir o comércio ilegal. (Divulgação/Receita Federal)
  • Carga estava em posse de dois passageiros de um voo procedente de São Paulo;

  • Penas podem variar de um a quatro anos de reclusão, segundo a Receita;

  • Ao todo, foram apreendidos 105 iPhones.

Uma carga de produtos estrangeiros irregulares foi apreendida na última semana no Aeroporto do Recife. Entre eles um lote com mais 100 iPhones avaliados em cerca de R$ 500 mil. Ao todo, foram apreendidos 105 iPhones, cerca de 100 perfumes importados e ainda vários eletrônicos de origem estrangeira, como fones de ouvido sem fio e acessórios para celulares.

A carga estava em posse de dois passageiros de um voo procedente da cidade de São Paulo e foi apreendida por se tratarem de produtos de origem estrangeira que não possuíam a comprovação regular de importação.

De acordo com a Receita Federal, as mercadorias não tinham comprovação regular de importação. Eles foram autuados e tiveram os produtos retidos. Caso não comprovem o regular pagamento dos impostos sobre os produtos apreendidos, poderão sofrer sanções fiscais e serem indiciados pelo crime de descaminho.

As penas podem variar de um a quatro anos de reclusão, segundo a Receita. A operação foi realizada pela Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho, em parceria com a Inspetoria da Receita Federal no Aeroporto do Recife.

A ação faz parte de uma iniciativa para coibir o comércio ilegal. Essas inspeções ocorrem em áreas de desembarque de voos nacionais com origem em cidades consideradas grandes centros de distribuição de mercadorias.

A Receita Federal destacou a fiscalização de voos domésticos. São ações de investigação e monitoramento de diversos alvos que, de forma ilegal, "internalizam no Brasil, pelas fronteiras terrestres", produtos de alto valor agregado que chegam ao resto do país pelos aeroportos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos