Mercado abrirá em 31 mins
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,62
    +0,77 (+1,06%)
     
  • OURO

    1.786,20
    +8,80 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    34.016,28
    +2.401,55 (+7,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    813,96
    +19,63 (+2,47%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.121,62
    +31,61 (+0,45%)
     
  • HANG SENG

    28.817,07
    +507,31 (+1,79%)
     
  • NIKKEI

    28.874,89
    -9,24 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.274,00
    +15,75 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9142
    -0,0056 (-0,09%)
     

Receita da Xiaomi sobe 55% no 1º tri; preenche lacuna deixada por Huawei

·1 minuto de leitura
Xiaomi

XANGAI (Reuters) - A fabricante chinesa de smartphones Xiaomi reportou nesta quarta-feira crescimento de 55% na receita no primeiro trimestre, acima das expectativas de analistas, conquistando participação de mercado da Huawei Technologies.

A receita subiu para 76,88 bilhões de iuanes (12 bilhões de dólares) no trimestre encerrado em 31 de março, ante 49,70 bilhões de iuanes no ano anterior. Analistas esperavam receita de 74,5 bilhões de iuanes, de acordo com dados da Refinitiv.

O lucro líquido ajustado aumentou para 6,1 bilhões de iuanes, contra as estimativas do mercado de 3,97 bilhões de iuanes.

A participação da Xiaomi no mercado de smartphones na China aumentou 75% com relação ao ano anterior, de acordo com a empresa de pesquisas Canalys, conforme a Huawei se retirou após as restrições comerciais dos EUA que limitaram sua capacidade de fornecer componentes-chave para seus aparelhos .

A receita de vendas de smartphones aumentou 69,8% ano a ano para 51,5 bilhões de iuanes, enquanto a receita de serviços de internet aumentou 11,4% ano a ano para 6,6 bilhões de iuanes.

O governo norte-americano também retirou a empresa de uma lista negra que teria impedido investidores nos EUA de possuir ações da empresa, revertendo uma das últimas manobras do ex-presidente Donald Trump contra o setor de tecnologia da China.

(Reportagem de Josh Horwitz)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos