Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,54
    +0,77 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.864,30
    -1,10 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    29.614,78
    +464,42 (+1,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    660,32
    +4,49 (+0,69%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.484,35
    -29,09 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    20.112,10
    -357,96 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    26.658,90
    -89,24 (-0,33%)
     
  • NASDAQ

    11.818,50
    +47,50 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1660
    -0,0062 (-0,12%)
     

Receio de ‘inverno cripto’ causa calafrios aos fiéis do Bitcoin

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Há poucas coisas mais assustadoras para os investidores do que um mercado em baixa –- a menos que você esteja envolvido com criptomoedas, caso em que o inverno é pior.

A referência é à queda acentuada, seguida por uma diminuição nas negociações e meses de crise no mercado -- um fenômeno que ocorreu de forma memorável no mercado de criptomoedas em 2018. O preço do Bitcoin caiu mais de 80%, para até US$ 3.100, do final de 2017 até dezembro do ano seguinte, um período caracterizado por um boom e queda de ofertas iniciais de moedas e grandes bancos postergando seus planos de iniciar mesas de negociação de criptomoedas. O Bitcoin não atingiu uma nova alta até dezembro de 2020, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Lembranças de 2018 estão provocando temores de que isso esteja acontecendo novamente agora, depois que a maior criptomoeda do mundo despencou 50% em relação a mais recente alta de quase US$ 69.000 em novembro. O universo cripto perdeu mais de US$ 1 trilhão em valor de mercado com a crescente convicção de que o Federal Reserve deve começar a reduzir as políticas ultra-acomodativas que alimentaram um boom para os ativos de risco.

O recuo afetou todo o ecossistema de criptomoedas, do Bitcoin a criptomoedas listadas publicamente. Embora o colapso tenha abalado o suficiente por conta própria, gerou uma preocupação ainda maior de que a dor possa persistir por muitos meses, segundo o UBS.

“Há essa questão de como caracterizamos isso e a analogia mais próxima é 2018 provavelmente, que é essa ideia de um inverno criptográfico”, disse James Malcolm, chefe de pesquisa cambial do UBS, por telefone. “Parece ser um período bastante difícil e potencialmente prolongado e, portanto, a analogia do inverno criptográfico é muito boa. Lembre-se, o inverno criptográfico em 2018 não foi apenas nos meses de inverno do Hemisfério Norte. Basicamente se estendeu por um ano inteiro –- então foi um inverno criptográfico que durou efetivamente um ano.”

Menções de “inverno criptográfico” e “era do gelo cripto” inundaram as redes sociais em meio ao último tombo.

Ao contrário do inverno de três anos atrás, o investimento na esfera criptográfica permanece robusto –- pelo menos por enquanto. Somente em janeiro, a bolsa de criptomoedas FTX anunciou o lançamento de um fundo de risco de US$ 2 bilhões para direcionar oportunidades na Web3, enquanto o Financial Times informou que Andreessen Horowitz está procurando levantar US$ 4,5 bilhões para fundos. É claro que uma queda prolongada pode acabar com o entusiasmo do setor.

Fora do capital de risco, as empresas também estão procurando se expandir para os setores do ecossistema de criptomoedas. Documentos do Escritório de Patentes e Marcas dos EUA mostram que o Walmart se prepara para criar sua própria criptomoeda e tokens não fungíveis. Enquanto isso, a GameStop também planeja lançar um mercado NFT para gamers até o final do ano.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos