Mercado fechado

Recadastramento de celulares pré-pagos termina nesta segunda-feira (18)

Felipe Demartini

Termina nesta segunda-feira (18) o prazo para que os usuários de celulares pré-pagos de 17 estados brasileiros realizem o cadastro de suas linhas junto à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Aqueles que não passarem pelo processo e tiverem seus dados atualizados podem ter o serviço interrompido e os números bloqueados.

O sistema de cadastro nacional foi idealizado pela agência como uma forma de evitar fraudes e manter sob controle a identidade daqueles que adquirem linhas pré-pagas no Brasil. A exigência e o fim do prazo valem para os moradores de todas as cidades dos seguintes estados:

  • Alagoas
  • Amazonas
  • Amapá
  • Bahia
  • Ceará
  • Espírito Santo
  • Maranhão
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Pará
  • Paraíba
  • Pernambuco
  • Rio de Janeiro
  • Rio Grande do Sul
  • Roraima
  • Sergipe
  • São Paulo

O recadastramento pode ser feito pelos telefones de atendimento das próprias operadoras ou por sites criados por elas para este fim. Nesta etapa, apenas dados pessoais como nome completo, endereço e CPF estão sendo solicitados, no caso de pessoas físicas, com o CNPJ sendo pedido para as pessoas jurídicas. As páginas e telefones são os seguintes:

  • Claro: site ou atendimento 1052;
  • TIM: site ou atendimento *144;
  • Vivo: site ou atendimento *8486;
  • Oi: site ou atendimento *144;
  • Algar: site ou atendimento 1055;
  • Sercomtel: site ou atendimento 1051.

As operadoras também têm entrado em contato com os clientes por meio de mensagens de texto informando o fim do prazo e a necessidade de atualização cadastral, que também pode ser feita nas lojas das empresas. O processo começou ainda no primeiro semestre de 2019, mas o número de clientes em situação irregular não foi divulgado.

De acordo com a Anatel, o primeiro bloqueio às linhas ainda não tem data para acontecer, mas deve impedir a utilização dos sistemas por 30 dias para que o cliente se adeque e realize a atualização cadastral. Mudou, também, a forma com a qual as empresas realizam a comercialização de chips pré-pagos, que passam a exibir cadastro prévio dos interessados.

A ideia é evitar a utilização dos números para fraudes e golpes e dar às autoridades os dados daqueles que praticarem crimes com o uso deles. Estes procedimentos serão divulgados pela Anatel no ano que vem, bem como o destino das linhas que ultrapassarem o limite de 30 dias de bloqueio sem regularização cadastral.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: