Mercado fechará em 2 h 52 min

Realme pretende iniciar venda de celulares no Brasil ainda em 2020

Felipe Junqueira
·2 minuto de leitura

A Realme confirmou que vai lançar celulares no Brasil e pretende trazer os primeiros modelos ainda em 2020. Conforme já noticiamos, há ao menos três smartphones da fabricante chinesa em processo de homologação na Anatel, além de vagas de emprego na empresa para trabalhar em São Paulo.

De acordo com a diretora de marketing da Realme Brasil, Cyrstal Gong, em entrevista ao site TechTudo, a companhia pretende lançar celulares no país em dezembro, além de trazer dispositivos para casa conectada. “Nosso objetivo é estar entre o top 3 de smartphones do Brasil”, projetou.

Atualmente, a Realme é a sétima maior fabricante de celulares do mundo, segundo relatório da Canalys para o terceiro trimestre de 2020 — aquele que mostra a Xiaomi à frente da Apple pela primeira vez. A companhia foi destaque por somar 50 milhões de unidades embarcadas em apenas 9 trimestres, tempo recorde que antes pertencia à Samsung, que levou 10 trimestres para chegar à marca pela primeira vez.

Para vingar no Brasil, a chinesa teria que adotar uma postura muito mais agressiva do que a Xiaomi, que foca em emplacar dispositivos conectados e acessórios em seus canais oficiais por aqui. Lá fora, a Realme, que nasceu como marca da Oppo conquista o consumidor justamente ao oferecer bons aparelhos a preço baixo, mais ou menos a estratégia da conterrânea até pouco tempo atrás.

Realme confirma que vai entrar no mercado brasileiro de smartphones (Imagem: Divulgação/Realme)
Realme confirma que vai entrar no mercado brasileiro de smartphones (Imagem: Divulgação/Realme)

Uma vez que o consumidor brasileiro ainda é bastante avesso a marcas desconhecidas, a Realme precisaria reduzir bastante sua margem de lucro para emplacar seus aparelhos a valores abaixo dos concorrentes e tentar ganhar o consumidor pelo bolso. Mas o momento não é ideal para isso, com dólar beirando os R$ 6.

A menos que a empresa consiga garantir fabricação nacional, a tendência é que os preços não agradem tanto. Para dar uma ideia, o Realme 7, um dos modelos em homologação na Anatel, custa cerca de R$ 1.250 lá fora, sem contar impostos. O aparelho tem características um pouco parecidas com o Redmi Note 9, lançado por aqui em junho por R$ 2.700 e cujo preço no exterior fica em cerca de R$ 870. Outro potencial concorrente seria o Moto G8, que já pode ser encontrado na faixa dos R$ 1.300 no varejo.

Por enquanto, a empresa não falou nada oficialmente sobre faixa de preço, então temos que esperar até que um anúncio seja feito para tentar entender qual é a estratégia a ser adotada para competir em um mercado difícil como o brasileiro. Seja como for, a presença da Realme por aqui é uma boa notícia, pois aumenta o leque de opções do consumidor local.

E aí, ansioso pelo primeiro celular da Realme ser anunciado no Brasil? Conte nos comentários.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: