Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,89
    -0,18 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.805,00
    +3,20 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    38.232,70
    +4.198,09 (+12,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,23
    +118,49 (+14,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    26.825,73
    -496,25 (-1,82%)
     
  • NIKKEI

    27.914,03
    +366,03 (+1,33%)
     
  • NASDAQ

    15.084,25
    -13,75 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1187
    -0,0029 (-0,05%)
     

Realme fecha parceria com Mercado Livre e quer entregar em até 48h

·2 minuto de leitura
Realme fecha parceria com Mercado Livre e quer entregar em até 48h
Realme fecha parceria com Mercado Livre e quer entregar em até 48h

A Realme chegou ao Brasil no começo do ano e, até então, apostava nos canais de venda digitais da rede B2W (Americanas, Submarino e Shoptime). Buscando ampliar a disponibilidade dos seus produtos, a Realme está anunciando uma parceria com o Mercado Livre. Segundo ela, o novo canal permitirá entregas mais ágeis em em até 48h para 80% do país.

Nas últimas semanas a Realme anunciou que contratou a influenciadora Camilla de Lucas — que anunciou inclusive novos modelos da empresa para o Brasil. A chegada dos celulares da empresa ao Mercado Livre, segundo comunicado, vai permitir que as compras sejam entregues ao usuário em até 2 dias (48 horas) após a confirmação do pagamento. Em regiões selecionadas, inclusive, os pacotes poderão ser entregues no mesmo dia — graças à logística do marketplace argentino.

Preços diferentes

Algo que poderá ser diferenciado no novo canal de vendas é o preço: valores em relação à precificação na rede B2W poderão divergir na parceria da Realme com o Mercado Livre. As empresas envolvidas, porém, não revelaram quais preços serão cobrados no novo canal. A chinesa também informou que, assim como já acontece na Americanas, Submarino e Shoptime, ações promocionais — eventualmente — poderão ocorrer.

A Realme já trouxe para o Brasil os celulares Realme 7, 7 Pro, 7 5G, e mais recentemente oficializou os Realme 8 Pro, C25, e C11. Com a pretensão de se tornar a terceira maior marca no país até 2025, a empresa tem a tarefa árdua de ultrapassar pelo menos a Apple por aqui — que pode ter 13,5% desse mercado, ficando logo atrás da Motorola (21,8%) e Samsung (44,6%).

Vale lembrar, Xiaomi e Huawei são outras chinesas no país. A primeira segue apostando no lançamento frequente de novos smartphones — mas a segunda se reorganizou para lançar vestíveis como fones de ouvido e smartwatches, enquanto perduram sanções que impedem o uso do Android e serviços Google em novos celulares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos