Mercado fechará em 4 h 35 min
  • BOVESPA

    130.906,36
    +1.465,33 (+1,13%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.252,02
    -34,44 (-0,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,59 (+0,83%)
     
  • OURO

    1.866,80
    -12,80 (-0,68%)
     
  • BTC-USD

    40.676,79
    +4.775,82 (+13,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.010,87
    +42,03 (+4,34%)
     
  • S&P500

    4.237,76
    -9,68 (-0,23%)
     
  • DOW JONES

    34.277,41
    -202,19 (-0,59%)
     
  • FTSE

    7.166,43
    +32,37 (+0,45%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.030,50
    +36,25 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1365
    -0,0561 (-0,91%)
     

“Real digital não concorre com Bitcoin”, diz CEO da Coinext

·2 minuto de leitura
Bitcoin e Bandeira do Brasil - Brasileiros e criptomoedas (criptomoeda pública)
Bitcoin e Bandeira do Brasil - Brasileiros e criptomoedas (criptomoeda pública)

O real digital teve mais detalhes divulgados na manhã desta segunda-feira (24), com os brasileiros passando a acompanhar mais uma inovação na economia brasileira. De acordo com o economista e CEO da corretora Coinext, José Artur Ribeiro, o real digital não é um concorrente do Bitcoin.

O Banco Central do Brasil fez a divulgação em nota e coletiva à imprensa, primeira desde agosto de 2020, quando foi criado um grupo de trabalho para discutir os rumos da inovação. Algumas pessoas chegaram a se questionar se essa iniciativa viria para acabar com o PIX e até com as moedas em espécie, mas tal informação já foi negada pelo BCB.

O Bacen divulgou então o que espera da tecnologia, citando que DeFi, contratos inteligentes, entre outras tecnologias comuns das criptomoedas podem ser incorporadas, caso sejam vantajosas para a inovação.

Real digital não concorre com Bitcoin, diz CEO da Coinext

O real digital é uma moeda esperada para os próximos anos como uma grande mudança na forma de lidar com dinheiro no Brasil. Nesta segunda-feira (24), o tema voltou a ganhar repercussão, com o Banco Central do Brasil divulgando detalhes da moeda digital estatal.

Utilizando a mesma base tecnológica de outros países, a CBDC brasileira poderia ajudar o país a ganhar força na política monetária. Mas detalhes técnicos do real digital ainda estão longe de serem divulgados pelo BCB, que estuda a aplicação da moeda.

De acordo com José Artur Ribeiro, CEO da corretora de Bitcoin Coinext, a notícia é boa para o mercado de criptomoedas nacional.

“Todas as iniciativas de Bancos Centrais de digitalizar suas moedas são excelentes notícias para o nosso mercado, pois validam e endossam a tecnologia por trás dos criptoativos”

O economista ainda afirmou não acreditar que a iniciativa do banco central brasileiro seja uma forma de controlar o Bitcoin.

Em sua visão, contudo, esse lançamento poderia até mesmo aumentar o preço do Bitcoin, que já começou a reagir neste começo de semana.

“A Blockchain já é realidade e fará cada vez mais parte do nosso dia a dia nos próximos anos. E claro, a adoção desta tecnologia por parte dos governos impacta positivamente para o preço futuro do Bitcoin, que esta semana, começou novamente a subir após a forte correção”

Como o Banco Central do Brasil ainda não divulgou muitos detalhes, mais discussões são esperadas nos próximos meses. Mesmo assim, José Artur afirmou que, nem o real digital, nem qualquer CBDC, concorre com o Bitcoin.

“Nem o Real Digital, nem qualquer outra moeda governamental emitida via Blockchain, competem com o Bitcoin. O BTC continuará sendo uma classe de ativos única, descentralizada, cada vez mais resiliente e escassa”

Fonte: Livecoins