Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,55
    +0,17 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.769,90
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    55.031,25
    -1.094,46 (-1,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.234,53
    -64,43 (-4,96%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.125,42
    -559,95 (-1,89%)
     
  • NASDAQ

    13.918,50
    +21,25 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6766
    +0,0009 (+0,01%)
     

Real derrete 10,2% no ano e tem o 4º pior desempenho de moedas

·1 minuto de leitura
Júnia Garrido/Futura Press

O real já desvalorizou 10,2% em 2021, com isso, a moeda registra o quarto pior desempenho das moedas em comparação com o dólar, segundo levantamento é da agência classificadora de risco Austin Rating. O desempenho brasileiro só fica melhor que o Sudão, Líbia e Venezuela.

Essas moedas desvalorizaram 85,3%, 70,1% e 42,4%, respectivamente. O real perdeu mais valor do que o peso argentino e o gourde, do Haiti. Em 2020, o real foi a moeda que mais se desvalorizou entre as 30 mais negociadas do mundo.

Um dos motivos para a desvalorização do real é a falta de controle da Covid-19, que tem preocupado investidores. Outro fator é a trajetória da dívida pública, que chegou a 89,7% do PIB (Produto Interno Bruto). Conforme dados do Banco Central, as contas externas registraram um déficit de US$ 12,517 bilhões em todo ano de 2020.  

Desde 2020 o Brasil tem assistido a uma saída de investidores estrangeiros — e domésticos — de seu mercado de capitais. Ainda em 2020, o investimento estrangeiro no Brasil caiu 50,6% e somou US$ 34,1 bilhões, o menor ingresso de investimentos diretos na economia brasileira desde 2009.