Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.478,68
    -50,41 (-0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Rayssa Leal, Lucas Rabelo, André Mariano e Lilly Stoephasius vencem o Oi STU Open Rio

·3 min de leitura


As altas temperaturas deste domingo não desanimaram o público que marcou presença na Praça Duó, na Barra da Tijuca, para conferir as finais do Oi STU Open Rio. Com arquibancadas cheias, os atletas deram show de manobras e levantaram os fãs que vibraram a todo tempo. Na pista de Park, André Mariano surpreendeu e conquistou o primeiro lugar pela primeira vez. Já entre as meninas, a alemã Lilli Stoephasius ficou no lugar mais alto do pódio. Na pista de Street, Lucas Rabelo ficou com a melhor e entre as meninas, Rayssa Leal levou o troféu de campeã.

O dia começou com as atletas de Park na pista. Em uma bateria com grandes nomes da modalidade, a alemã Lilly conseguiu acertar sua terceira volta e tirou 60.33. Com apenas 14 anos, Lilly enfrentou sua primeira final nesta edição do Oi STU Open Rio e, logo na estreia, conseguiu o primeiro lugar.

- Sempre sonhei em correr aqui no Park, e hoje foi incrível. A plateia estava enorme, muito animada e eles me ajudaram muito a ser finalista. É como um sonho que se tornou realidade. Na primeira volta eu quis apostar em algo mais seguro, e eu estou feliz por ter feito isso. Na segunda eu fiz algumas correções e já estava bem feliz. Agora, ficar em primeiro lugar é o topo - comemorou Lilly.

Em segundo lugar, Dora Varella, seguida por Yndiara Asp, Isadora Pacheco, Victoria Bassi, Raicca Ventura, Emily Antunes e Mariana Brauner.

Na sequência foi a vez dos meninos entrarem na pista. O favorito, Pedro Barros, conquistou 84.33 pontos logo na primeira volta, mas acabou caindo e precisou sair da disputa. Ele terminou a final em segundo lugar. Os irmãos Luizinho e André Mariano disputaram a primeira final juntos e mandaram muito nas voltas. Logo na primeira linha, Luizinho acertou um kickflip 360 e um front side grab.

Para a felicidade do irmão mais velho, André conquistou o primeiro lugar em sua estreia como finalista do circuito. Com 86.33 pontos na última volta, ele abraçou o troféu de campeão e comemorou muito com todos os skatistas.

- Não estava esperando tanto resultado, eu vim mais para curtir, mostrar o que eu sei fazer, e acabei conseguindo vencer essa etapa. Realmente não consigo explicar o que estou sentindo agora. Fazer a primeira jogada com o meu irmão e sair campeão dessa etapa é inexplicável, não sei o que dizer, só quero agradecer em quem acreditou em mim e obrigado.

A tarde continuou com disputas, agora na pista de street. Lucas Rabelo, vice-campeão do Mundial de Skate Street e medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos Júnior, faturou o título da categoria, e liderou a disputa desde o início. Ele foi o único que conseguiu mais de 26 pontos e também faturou a maior nota do evento. Eduardo Neves e Lucas Alves Xuxu completaram o pódio do Street masculino.

- Tem sido um ano maravilhoso para mim. Eu gosto de botar um foco em tudo o que eu faço para batalhar por isso. Quando fiquei sabendo que ia ter esse campeonato em casa, no Rio de Janeiro, onde eu me sinto totalmente em casa, é aí mesmo que vou querer fazer bonito. Estou feliz com meu skate, consegui andar solto, e usei as manobras que já tinha em mente. É muito, é muito incrível poder ganhar em casa - finaliza, Rabelo.

E para fechar com chave de ouro a quarta edição do Oi STU Open Rio, Rayssa Leal foi a melhor do dia e levou o troféu para casa. Ela liderou a disputa e subiu ao pódio ao lado de Pâmela Rosa e Virgínia Fortes.

- A torcida brasileira é diferenciada, é muito bom andar em casa, perto do público. Hoje ouvi minha mãe, ela falou que tinha que ter um Flip rock e eu fui lá e consegui. Só posso comemorar - explica Rayssa Leal, medalha de prata nos Jogos Olímpicos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos