Mercado abrirá em 3 h 29 min
  • BOVESPA

    113.794,28
    -1.268,26 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,09
    -0,52 (-0,72%)
     
  • OURO

    1.766,20
    +9,50 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    47.889,81
    -361,59 (-0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.221,99
    -11,30 (-0,92%)
     
  • S&P500

    4.473,75
    -6,95 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.751,32
    -63,07 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.033,20
    +5,72 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.500,25
    -17,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2050
    +0,0202 (+0,33%)
     

Rayssa Leal dispensa festa na chegada ao Brasil e diz que vai curtir a família

·1 minuto de leitura
Rayssa Leal desembarca de volta no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - A mais jovem medalhista olímpica do Brasil, Rayssa Leal, chegou ao país nesta quarta-feira e preferiu cancelar uma recepção com fãs em sua cidade natal, Imperatriz, no Maranhão, para evitar aglomerações durante a pandemia de Covid-19, e disse que os próximos dias serão dedicados à família.

A skatista de 13 anos encantou o país ao conquistar a medalha de prata nos Jogos de Tóquio na categoria street.

"Mesmo que eu não tenha conseguido parar e falar com todo mundo, e fazer a festa que eu gostaria, agradeço todo carinho de vocês. Agora vou curtir muito minha família", disse ela em suas redes sociais.

"Se eu sumir um pouco, é porque tô curtindo o meu maninho", acrescentou a skatista, que foi recebida pelo irmão mais novo assim que desceu do avião.

Rayssa terá de lidar também com a questão envolvendo o registro de seu apelido "Fadinha" por uma advogada, Flavia Penido, que ela não conhecia e que disse estar preocupada que empresários pudessem tirar vantagem da atleta.

Penido acompanhou a atuação da skatista nos Jogos e logo depois consultou as autoridades nacionais de marcas para saber se alguém havia registrado o nome "Fadinha" para roupas ou equipamentos de skate.

Quando nada apareceu, ela tomou as medidas para registrar a marca "Fadinha" em nome da menina.

“Em alguns momentos você tem que tomar atitude rápido”, disse a advogada no Twitter. "O interesse, obviamente, não é econômico, mas sim preservar eventuais direitos da Rayssa e também mostrar a importância de marketing e jurídico trabalharem sempre juntos".

Flavia Penido disse que vai ceder os direitos à atleta. A família de Rayssa Leal não respondeu imediatamente aos e-mails solicitando comentários.

(Reportagem de Andrew Downie)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos