Mercado fechará em 6 h 6 min
  • BOVESPA

    109.368,77
    +880,89 (+0,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.538,91
    +20,61 (+0,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,60
    +0,32 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.853,50
    +11,40 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    30.489,03
    +481,26 (+1,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    683,54
    +8,66 (+1,28%)
     
  • S&P500

    3.938,56
    +37,20 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    31.614,46
    +352,56 (+1,13%)
     
  • FTSE

    7.476,86
    +86,88 (+1,18%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.920,50
    +79,75 (+0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1119
    -0,0409 (-0,79%)
     

Ravi Bagal, Head Global de Varejo da Amazon, aponta cinco tendências para o setor

·3 min de leitura

O boom do shopping online no Brasil começou antes da pandemia – e já vinha em uma curva ascendente principalmente a partir de 2017. A grande revolução, neste momento, tem mais a ver com a jornada das pessoas no digital, que tem novas possibilidades e canais online para além do e-commerce, segundo enfatiza Ravi Bagal, Head Global de Varejo da Amazon Web Services.

“O varejo é uma jornada, e as pessoas se aproximam cada vez mais da compra nas redes sociais, e todos os outros canais existentes hoje”, disse.

Ravi Bagal, Head Global de Varejo da Amazon Web Services (Crédito: reprodução LinkedIn)

Segundo ele, este novo momento do varejo também eleva a importância de marketplaces e ecossistemas como Mercado Livre – que hoje tem uma constelação de empresas próprias, inclusive de serviços financeiros, para atender o consumidor e melhorar a experiência de compra.

“Hoje não importa tanto o que você vende, porque o item pode estar disponível em diversos lugares, mas como você vende”, destacou.

A entrega é um tema crítico, e a equação preço versus velocidade de entrega é um determinante crítico. Segundo pesquisas da Amazon, estes dois itens são os maiores determinantes para a decisão de compra (77% e 66% respectivamente). O serviço Amazon Prime nasceu como um programa de fidelidade, e acabou se transformando em referência de entrega rápida.

Bagal delineou cinco tendências às quais o varejo deve ficar atento em 2022:

1. Responsabilidade corporativa como diferencial

Responsabilidade social (ESG) hoje é uma questão estratégica.

“Os consumidores consideram a responsabilidade corporativa como um fator de decisão de compras”, disse Bagal. E isso vai da escolha de um eletrodoméstico com mais eficiência energética ao uso de sacolas de compra retornáveis.

“Precisamos de um varejo ético – não porque esta é a coisa certa a ser feita, mas porque é aquilo que o consumidor quer”, afirmou.

2. O crescimento da Inteligência Artificial e do machine learning

A Amazon pode falar sobre isso com propriedade, afinal vender 4 mil produtos por minuto, enviar 1,6 milhões de pacotes por dia e lidar com bilhões de interações com a Alexa semanalmente não seria possível sem essas ferramentas. IA e machine learning estarão cada vez mais presentes em cada etapa do consumo.

“O varejo precisa colocar o poder da escolha na mão dos clientes – e com Inteligência Artificial é possível fazer isso mais rapidamente, para cada vez mais pessoas, com maior eficiência e precisão”, disse.

3. Automação do atendimento ao cliente

Pelo menos 15% dos consumidores preferem o atendimento automatizado ou digital, em vez de interagir com seres humanos, segundo a empresa de consultoria Gartner. O dado é relevante, e essa proporção tende a aumentar. Para Bagal, “isso melhora o atendimento e aumenta a satisfação dos clientes, com cada vez mais eficiência.”

4. O chamado Voice Commerce estará em toda parte

Cada vez mais, falaremos e transacionaremos com objetos e equipamentos. É um caminho sem volta, com implicações ainda inesperadas em todo o varejo. Mas Bagal faz um alerta: “Sistemas automatizados de voz não serão nunca substitutos para relações interpessoais – e sim um complemento a ser usado conforme o desejo do cliente.”

5. Livestream será mainstream

O livestreaming é uma ferramenta incrível para conectar o físico ao digital e, por isso, ganha cada vez mais importância no relacionamento com os clientes. “É uma forma simples de conectar com o consumidor, já acessível e com um imenso potencial de crescimento em todo o mundo”, finaliza.

Acompanhe a cobertura especial da Fast Company Brasil da NRF 2022.

O post Ravi Bagal, Head Global de Varejo da Amazon, aponta cinco tendências para o setor apareceu primeiro em Fast Company Brasil | O Futuro dos Negócios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos