Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,40
    -1,85 (-2,49%)
     
  • OURO

    1.799,00
    +16,60 (+0,93%)
     
  • BTC-USD

    16.822,34
    -176,28 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    394,86
    -7,18 (-1,79%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.489,19
    -32,20 (-0,43%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.498,75
    -67,25 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4669
    -0,0118 (-0,22%)
     

Randolfe aciona o TCU e questiona pressa do BNDES para transferir recursos ao Ministério da Economia

*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  11-11-2022, 12h00:O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) fala com a imprensa no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), sede do governo de transição. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 11-11-2022, 12h00:O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) fala com a imprensa no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), sede do governo de transição. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) enviou ao Tribunal de Contas da União (TCU) uma representação em que pede que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) seja obrigado a suspender a movimentação de uma quantia bilionária para cumprir acordo firmado com o Ministério da Economia.

O parlamentar questiona a celeridade dada à operação e também a fonte de extração dos recursos.

O acordo entre o banco e a pasta chefiada por Paulo Guedes envolve o pagamento de uma dívida de R$ 45 bilhões à União. Pela tratativa, a quantia deve ser devolvida até o dia 30 deste mês.

O pagamento atende a decisão do TCU, que considerou irregulares uma série de empréstimos feitos entre os anos de 2008 e de 2015 a bancos públicos federais —e, por isso, requisitou a devolução.

Desde o fim do ano passado, o BNDES vinha travando uma queda de braço com o governo federal na tentativa de retardar a devolução do saldo restante. Em setembro deste ano, a corte de contas determinou que o banco cumpra um cronograma mais rápido de devolução dos recursos.

O BNDES recorreu, alegando que a restituição mais veloz dos valores obrigaria a instituição a captar recursos no mercado (a uma taxa de juros maior) ou a vender ações de empresas que estão na carteira do BNDESPar, braço de participações da instituição.

Prevaleceu a redução do capital social do BNDESPar, avaliada em R$ 40 bilhões.

Para o senador Randolfe Rodrigues, porém, a operação em favor do BNDES pode apresentar irregularidades.

O parlamentar questiona o fato de o acordo feito com o Ministério da Economia prever o repasse de recursos ainda neste mês, em prazo inferior aos 60 dias estipulados para a redução do capital social.

"A devolução, seja pela via normal, seja pela antecipação, deveria respeitar o prazo estabelecido para a execução da política pública", diz ele.

O senador também afirma que a decisão do TCU determinou que a devolução dos valores deveria atender a critérios de segurança jurídica, que, segundo ele, podem ser desrespeitados caso a operação se confirme.

"Perfazendo este ato, haverá claro desrespeito à norma societária, com possíveis prejuízos para as entidades financeiras envolvidas e para a própria controladora, a União Federal, sem qualquer contrapartida", afirma ainda.

Segundo o senador, a operação de transferência pode ocorrer entre esta sexta-feira (11) e o próximo sábado (12).