Mercado abrirá em 1 h 26 min
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,96
    -0,17 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.784,10
    +3,90 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    57.129,30
    +2.178,26 (+3,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.295,98
    -95,73 (-6,88%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.038,07
    +18,54 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.983,25
    -46,25 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7172
    +0,0311 (+0,47%)
     

Rabobank eleva previsão de safra de soja do Brasil e reduz estimativa para milho

·3 minuto de leitura
Plantação de soja em Primavera do Leste, em Mato Grosso

SÃO PAULO (Reuters) - A safra de soja do Brasil em 2020/21 deve alcançar um recorde de 133 milhões de toneladas, estimou nesta segunda-feira o Rabobank, que elevou em 500 mil toneladas sua estimativa de produção e apontou condições favoráveis para novo crescimento da colheita em 2021/22.

"Mesmo com chuvas irregulares desde o início da semeadura que persistem durante a colheita, o Rabobank estima que a safra de soja deva alcançar níveis recordes durante a temporada 2020/21", afirmou o banco em relatório, lembrando que houve um aumento de 3,5% na área plantada na atual temporada.

Apesar da safra recorde, os estoques de passagem em 2021 devem permanecer em baixos níveis, reduzidos pela exportação e esmagamento.

"Os elevados preços que vêm sustentando uma margem atrativa, indicam um aumento da área de soja para a temporada 2021/22", disse o Rabobank, projetando uma expansão na área plantada de 3,1% a 3,6% em relação à safra atual.

O banco ressaltou que suas projeções indicam um aumento de 7% a 8% do consumo de ração animal durante o ano de 2021.

"Parte deste aumento deve acontecer pela retomada da demanda por ração animal do setor de suínos, que deve ter um aumento de 11% em 2021, se comparado a 2020."

Do lado da oferta de milho, mais importante matéria-prima da ração no Brasil, o Rabobank reduziu a safra citando problemas climáticos, o que reforça o suporte às cotações.

A banco disse que, devido ao atraso do plantio da segunda safra, reduziu a estimativa da colheita total do Brasil para 105 milhões de toneladas em 2020/21, versus 107 milhões anteriormente.

Ainda assim, a safra seria recorde, à frente do volume de mais de 102 milhões de toneladas estimado pelo Rabobank para a temporada anterior.

O Rabobank avaliou ainda que o atraso do plantio do milho "safrinha" e a produtividade abaixo do esperado para a safra verão devem impactar o programa de exportação do cereal brasileiro.

"A baixa disponibilidade do grão deve limitar o início do programa de exportação brasileiro, o que deve favorecer as exportações de soja."

CAFÉ E CANA

O banco ainda estimou a safra de café do Brasil em 2021 em 56,2 milhões sacas de 60 kg, estável ante projeção anterior, apontando 36 milhões de sacas para a colheita da variedade arábica, cuja safra terá redução de 26,5% ante 2020.

"Dependendo do desenvolvimento dos grãos, novas reduções não estão descartadas. Paralelamente, existe uma grande preocupação sobre a qualidade da safra devido à irregularidade das chuvas durante o ciclo", afirmou.

Já a moagem de cana do centro-sul do Brasil foi estimada preliminarmente em 575 milhões de toneladas em 2021/22, com mix de 47% para açúcar, segundo o Rabobank.

"Mesmo com as condições de mercado favoráveis, o impacto do clima na nova safra que permanece incerto. Em fevereiro, a precipitação em quase todas as principais regiões de cana no centro-sul ficou bem abaixo do normal e o risco de que a produtividade do canavial seja prejudicada, depois da seca prolongada em 2020, voltou a preocupar", disse o Rabobank.

(Por Roberto Samora)