Mercado abrirá em 2 h 7 min

Rabino Henry Sobel morre aos 75 anos

Henry Sobel morreu de complicações após um câncer de pulmão. (Foto: AP Photo/Osama Faisal)

O rabino Henry Sobel morreu nesta sexta-feira (22) aos 75 anos, em Miami, por complicações associadas a um câncer. O sepultamento ocorrerá no domingo (24), em Nova York. Ele deixa a esposa e uma filha.

Rabino emérito da Congregação Israelita Paulista (CIP), destacou-se como uma "voz firme em defesa dos direitos humanos no Brasil", conforme destaca nota divulgada pela família. Segundo sua assessoria, ele não resistiu a complicações associadas a um câncer no pulmão.

Leia também

Rabino emérito da Congregação Israelita Paulista, Sobel teve forte atuação na defesa dos direitos humanos no Brasil. Quando o jornalista Vladimir Herzog foi assassinado, em 25 de outubro de 1975, o jovem rabino Sobel não engoliu a versão oficial da ditadura.

Enfrentando pressões, realizou o enterro do jornalista no centro do cemitério, se recusando a aceitar a alegação de suicídio -o que, segundo a religião judaica, o levaria a fazer o sepultamento nas margens do lugar.

Dias depois, Sobel liderou, junto com d. Paulo Evaristo Arns, então arcebispo de São Paulo, e Jaime Wright, pastor presbiteriano, o célebre ato ecumênico em homenagem a Herzog. A catedral da Sé ficou lotada e uma multidão tomou conta da praça, num silencioso e contundente protesto contra a ditadura.