Mercado fechará em 30 mins
  • BOVESPA

    109.057,66
    -44,34 (-0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.514,76
    -993,59 (-1,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,86
    -0,69 (-0,81%)
     
  • OURO

    1.832,50
    -10,10 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    38.241,29
    -4.767,01 (-11,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    898,12
    +655,44 (+270,08%)
     
  • S&P500

    4.439,55
    -43,18 (-0,96%)
     
  • DOW JONES

    34.521,28
    -194,11 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.618,25
    -222,75 (-1,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Startups brasileiras recebem R$ 53 bilhões em 2021

·2 min de leitura
Fatores econômicos de 2021 favoreceram este montante bilionário aplicado às startups brasileiras. (Getty Imagens)
Fatores econômicos de 2021 favoreceram este montante bilionário aplicado às startups brasileiras. (Getty Imagens)
  • Setores de Fintech e RetailTech receberam os maiores aportes

  • Real desvalorizado, baixa rentabilidade de outros investimentos favoreceram startups brasileiras

  • Projeções para 2022 levam em consideração o aumento da taxa de juros e instabilidade econômica

2021 foi um bom ano para ser 'startapeiro' no Brasil. Além do boom de unicórnios, o ano passado bateu o recorde de valores investidos nas empresas de inovação e tecnologia.

De acordo com informações da plataforma de monitoramento Distrito, e publicados pelo jornal Folha de São Paulo, as startups brasileiras receberam R$ 53 bilhões em investimentos ao longo de 2021.

Veja a seguir os segmentos de startups que mais receberam investimentos no ano passado:

  • FinTech: 176

  • RetailTech: 87

  • Real Estate: 32

  • HealthTech: 69

  • Mobilidade: 20

Confira quanto cada setor arrematou em 2021:

  • FinTech: R$ 20.9 bilhões

  • RetailTech: R$ 7.8 bilhões

  • Real Estate: R$ 6.06 bilhões

  • HealthTech: R$ 2.9 bilhões

  • Mobilidade: R$ 2.3 bilhões

Leia mais

Razões e explicações

Diversos fatores favoreceram este investimento bilionário nas startups brasileiras. Até março de 2021, o Banco Central brasileiro deixou a taxa selic em 2%, tornando os investimentos de renda fixa pouco atrativos. O BC americano também implementou essa medida. Com isso investir em startup se tornou mais atrativo. 

Outro ingrediente é a cotação do dólar. A moeda americana ficou acima dos 5 reais por boa parte de 2021, o que fez o investimento no Brasil ficar mais barato para o mercado internacional.

A maior disponibilidade de startups brasileiras também integra as razões para o recorde em investimentos. Grandes mercados como Europa e Estados Unidos estão saturados e muito disputados.

Horizonte para 2022

Mesmo que o câmbio não dê sinais de queda, o aumento de juros da selic, hoje em 9,52% ao ano, tornar os investimentos em outros produtos novamente interessantes.

E além disso, é difícil que o volume aplicado volte a bater recordes por conta do receio de outras ondas do novo corona vírus, principalmente pela variante omicron, e a instabilidade econômica brasileira relacionada às eleições de 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos