Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,61 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.344,64
    -1.285,99 (-3,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

R$ 15 bilhões foram liquidados após queda das criptomoedas

·2 min de leitura

Com uma queda acentuada no preço do Bitcoin na madrugada deste sábado (4), muitos traders que estavam operando alavancado tiveram as suas posições liquidadas. Do total de 15 bilhões liquidados, R$ 6,1 foram em negociações de bitcoin, seguido por R$ 3,6 bi em Ethereum.

A grande maioria das liquidações, mais de 80%, foram de ordens de compra (long) que provavelmente foram liquidadas por um efeito cascata. Todavia, muitos ursos também foram liquidados com a virada do mercado após o BTC encontrar suporte na região dos 42 mil dólares.

Operações alavancadas podem ser um bom recurso para quem não deseja confiar a custódia de todo o seu dinheiro na mão de exchanges. Apesar disso, é importante usá-lo com cuidado e consciência para não exagerar na dose.

Bilhões nas últimas 24 horas

Segundo o site Coinglass, 2,59 bilhões de dólares foram liquidados nas últimas 24 horas, este montante é equivalente a 15 bilhões de reais. Por ser o ativo mais negociado, o Bitcoin foi o que apresentou mais prejuízos aos traders, somando 1,08 bilhões de dólares liquidados (R$ 6,1 bi).

Liquidações de ordens nas últimas 24 horas. Fonte: Coinglass
Liquidações de ordens nas últimas 24 horas. Fonte: Coinglass

Em sua maioria, estas liquidações foram de ordens de compra (long). Apesar disso cerca de 20% delas foram ordens de venda (short), provavelmente causadas após o BTC obter suporte na região dos 42 mil dólares e já apresentar recuperação de 15%.

Embora operações alavancadas sejam mais arriscadas, elas são uma boa opção para quem não deseja deixar todo seu dinheiro em uma exchange. Por exemplo, ao invés de depositar 1 BTC, e operar sem alavancagem, traders podem depositar apenas 0,1 BTC e operar alavancado em 10x, resultando no mesmo montante de ganhos/perdas.

Esta estratégia permite que o trader mitigue riscos relacionados a custódia de seu dinheiro por terceiros. Apesar disso, é válido notar que algumas pessoas utilizam o recurso de alavancagem de forma errada, tratando o mercado como um cassino ao abrir operações com alavancagens tão altas quanto de 100 vezes.

Salvos pelo final de semana

Apesar da queda deste sábado (4) ter sido maior do que a queda de 7 de setembro — 27% vs 19% —, dia em que El Salvador aprovou a Lei do Bitcoin, as liquidações de hoje foram menores do que as de setembro.

Liquidação de 7 de setembro foi maior que a de hoje. Fonte: Coinglass
Liquidação de 7 de setembro foi maior que a de hoje. Fonte: Coinglass

Um dos motivos para isso pode ser o fato de que menos pessoas operam nos finais de semana, tirando estes dias de folga. Já a queda de 7 de setembro aconteceu em uma terça-feira, período onde há maior volume de negociações.

Por fim, este é um bom lembrete de que operações alavancadas podem ser uma boa estratégia ou sinônimo de grandes perdas, principalmente em períodos de alta volatilidade, então use essa opção com cautela.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos