Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,06 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    55.902,28
    -5.337,17 (-8,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,61 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    -5,50 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6842
    -0,0369 (-0,55%)
     

Rússia registra primeira vacina contra a COVID-19 para animais

Natalie Rosa
·1 minuto de leitura

A Rússia acaba de registrar a primeira vacina da COVID-19 para animais, de acordo com anúncio feito nesta quarta-feira (31). O objetivo do país com o imunizante, batizado de Carnivak-Cov, é ajudar na prevenção do possível surgimento de mutações mais perigosas do SARS-CoV-2, mas também favorecer a indústria que depende dos animais para se manter, que foi afetada por pequenos surtos.

Até o momento, alguns animais já foram diagnosticados com a doença, mas ainda não há qualquer informação concreta que prove que eles podem aumentar a disseminação do vírus para os humanos. No entanto, a imunização pode ajudar que o cenário se torne grave em algum momento. Segundo Konstantin Savenkov, vice-chefe de vigilância agrícola da Rússia a vacina foi registrada após passar por um processo rigoroso de testes, que envolveu animais de diferentes espécies, como cães, gatos, raposas e visons.

<em>Imagem: Reprodução/user18526052/Freepik</em>
Imagem: Reprodução/user18526052/Freepik

Os resultados iniciais mostraram que todos os animais apresentaram anticorpos contra o coronavírus, com imunidade que pode durar, pelo menos, seis meses, e as próximas etapas dos testes vão mostrar como cada tipo de animal é afetado pela COVID-19. Empresas de países como Canadá, Estados Unidos, Polônia e Singapura já mostraram interesse pelo imunizante, que pode começar a ser fabricado ainda em abril.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: