Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,83
    -0,52 (-0,85%)
     
  • OURO

    1.795,00
    +1,90 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    52.824,32
    -2.936,52 (-5,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.219,41
    -43,55 (-3,45%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.656,16
    +34,24 (+0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.993,34
    +484,79 (+1,70%)
     
  • NASDAQ

    13.897,00
    -22,25 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7071
    +0,0051 (+0,08%)
     

Rússia reduz velocidade do Twitter após protestos, ameaça bloqueio total

Tom Balmforth e Maria Kiselyova
·2 minuto de leitura

Por Tom Balmforth e Maria Kiselyova

MOSCOU (Reuters) - A Rússia informou nesta quarta-feira que está diminuindo a velocidade do Twitter em retaliação por sua suposta falha em remover conteúdo banido, e ameaçou um bloqueio total se a plataforma não cumprir suas exigências de exclusão.

A medida, que aumenta o impasse crescente entre Moscou e empresas de mídia social dos Estados Unidos, ocorre semanas depois que autoridades russas acusaram o Twitter e outros de não excluir postagens que o governo russo afirmava que pediam ilegalmente que crianças participassem de protestos anti-Kremlin.

O Twitter não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A Rússia tradicionalmente assumiu um papel mais indireto no policiamento da internet do que a vizinha China. Mas, à medida que as tensões políticas internas aumentaram este ano em relação à prisão do crítico do Kremlin, Alexei Navalny - o que gerou protestos em todo o país -, o governo sinalizou um tom mais duro.

Roskomnadzor, o regulador de comunicações do governo, disse em um comunicado que até quarta-feira havia mais de 3.000 postagens com conteúdo ilegal no Twitter, que ele acusou de ignorar seus pedidos de exclusão por anos.

O Twitter já estava sob pressão na Rússia depois de ter sido citado como uma das cinco plataformas de mídia social processadas por supostamente não deletar postagens instando as crianças a participarem de protestos ilegais, disse a agência de notícias Interfax citando um tribunal de Moscou na terça-feira.

O regulador não mencionou conteúdo relacionado aos protestos da oposição no comunicado de quarta-feira, mas se referiu ao que disse ser conteúdo ilegal no Twitter contendo pornografia infantil, informações sobre o uso de drogas e apelos para que menores cometam suicídio.

"A desaceleração será aplicada a 100% dos dispositivos móveis e em 50% dos dispositivos não móveis", disse o regulador.

"Se (o Twitter) continuar a ignorar as exigências da lei, as medidas de fiscalização continuarão ... (até bloqueá-lo)", disse o regulador.

A mudança afetaria o conteúdo de vídeo e foto, mas não o texto, disse a Interfax citando um oficial regulador.

O governo disse que não há desejo de bloquear conteúdo, mas que as empresas devem obedecer à lei.

Alguns ativistas disseram acreditar que as restrições estão relacionadas aos protestos recentes.

"É claro que o principal motivo é o aumento da ação de protesto nas ruas”, disse Sarkis Darbinyan, um defensor da liberdade na Internet com o grupo Roskomsvoboda.

"Já se passaram 10 anos desde a primavera árabe deste ano ... eles entenderam que a internet é uma força motriz. Qualquer desejo de controlar a internet russa está conectado ao desejo de controlar o espaço de informações."

(Reportagem adicional de Anastasia Teterevleva e Alexander Marrow)