Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,12
    +0,55 (+0,50%)
     
  • OURO

    1.823,90
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    20.841,93
    -289,06 (-1,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,80
    -6,00 (-1,30%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.068,25
    +27,75 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5281
    -0,0243 (-0,44%)
     

Rússia pede para não 'exagerar' a importância dos grãos ucranianos

A Rússia minimizou o impacto de sua ofensiva na Ucrânia sobre o aumento dos preços dos cereais nesta quarta-feira (8) e pediu para não "exagerar" a importância da produção ucraniana no mundo.

"Não temos que exagerar a importância das reservas de cereais [ucranianos] nos mercados internacionais", declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, à imprensa.

"É uma porcentagem muito pequena para ter um impacto significativo na crise alimentar mundial, que já começou", acrescentou.

Segundo Peskov, a crise se deve "a uma série de eventos e ações mal-intencionadas de governos ao redor do mundo". No entanto, ele não especificou os eventos aos quais se referiu.

Um pouco antes, o ministro russo das Relações Exteriores, Serguéi Lavrov, minimizou também o impacto do conflito na crise alimentar. De visita em Ancara, a capital turca, disse que "não era a causa ou o catalisador da crise alimentar".

"Demos muita atenção ao problema da exportação de cereais ucranianos, que nossos colegas ocidentais e os ucranianos tentam apresentar como uma crise universal, quando esses cereais representam menos de 1% da produção mundial de trigo e outros cereais", afirmou.

Desde o início do conflito, os preços dos cereais e dos óleos aumentaram consideravelmente e ultrapassaram inclusive os preços das primaveras árabes de 2011 e das "revoltas da fome" de 2008.

A Ucrânia é o quarto exportador mundial de trigo e terceiro de milho, mas não pode mais exportar sua produção através do Mar Negro devido à ofensiva russa.

bur/cm/sag/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos