Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.402,54
    +734,27 (+1,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Rússia multa Apple em US$ 12,1 milhões por 'abuso de posição dominante'

·2 minuto de leitura
Foto de arquivo de um smartphone da Apple

A Rússia anunciou uma multa de 12,1 milhões de dólares contra a Apple por "abuso" de posição dominante no mercado ao dar preferência a seus aplicativos para dispositivos eletrônicos, anunciou nesta terça-feira a agência reguladora do setor.

"Detectamos que a Apple abusou de sua posição dominante na distribuição de aplicativos móveis no sistema operacional iOS", afirmou a agência federal antimonopólio da Rússia em um comunicado.

A agência anunciou a multa de mais de 900 milhões de rublos (12,1 milhões de dólares) ao decidir a favor de uma denúncia apresentada pela empresa de segurança virtual Kaspersky Lab.

A Apple, que pretende recorrer contra a decisão, afirmou à agência de notícias Ria Novosti que "respeita" o regulador russo, mas "não concorda" com a multa.

"Estamos respeitosamente em desacordo com a decisão da agência federal antimonopólio da Rússia e vamos recorrer contra a decisão", disse a Apple em um comunicado recebido pela AFP.

"Estamos orgulhosos de termos ajudado a centenas de milhares de desenvolvedores na Rússia, entre eles Kaspersky, a chegar a mais de 1 bilhão de clientes em 175 países pelo App Store", afirma a Apple.

De acordo com a FAS, a Apple conta com uma "discrição ilimitada, que pode levar à restrição da concorrênca". O regulador russo pediu à Apple que abandone seu direito de rejeitar aplicativos externos na App Store.

As autoridades russas intensificam sua aposta na Internet, junto a uma luta contra os gigantes estrangeiros da tecnologia de informação.

Na semana passada, em particular, a FAS abriu uma investigação contra a Google e sua plataforma de vídeos YouTube, também por "abuso de posição dominante".

No início do mês entrou em vigor uma lei que exige que celulares, tablets e computadores vendidos na Rússia tenham programas e aplicativos nacionais pré-instalados.

emg/acl/mar-tjc/mb/fp/aa