Mercado fechado

Rússia fecha fronteiras por coronavírus

O presidente russo Vladimir Putin encerra um discurso à Duma em Moscou sobre reforma constitucional

A Rússia fechará suas fronteiras desta quarta-feira a 1º de maio a cidadãos estrangeiros, com exceção de residentes permanentes no país, anunciou o governo russo nesta segunda-feira.

Segundo um comunicado, o primeiro-ministro Mikhail Mishustin alertou vários chefes de governo para a entrada em vigor desta medida a partir da meia-noite de quarta-feira para proteger a "saúde pública" na Rússia, que até agora tem 93 pessoas infectadas com o novo coronavírus.

"Para garantir a segurança do estado, defender a saúde pública e impedir a propagação da infecção por coronavírus, o governo russo decidiu limitar temporariamente a entrada na Federação Russa a cidadãos estrangeiros e apátridas", disse Mishustin por meio de comunicado.

Diplomatas e cidadãos estrangeiros que residem permanentemente na Rússia não serão afetados pela medida, acrescentou.

Esta decisão foi anunciada após o número de infectados pelo novo coronavírus ter passado de 63 no domingo para 93 na segunda-feira na Rússia, a maioria na capital. Pela primeira vez, pessoas infectadas foram registradas em Moscou em solo russo e não no exterior.

Pouco antes, a cidade de Moscou havia anunciado o fechamento em 21 de março de todas as escolas.

Moscou decidiu estender as medidas de autoconfinamento a pessoas dos Estados Unidos, Reino Unido e de toda a União Europeia, Ucrânia e Bielorrússia.

Até agora, a lista era limitada aos países asiáticos e europeus mais afetados.