Mercado abrirá em 3 h 46 min

Rússia estréia novo foguete Angara colocando satélite militar em órbita

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Uma nova versão leve de um foguete da família russa Angara realizou sua primeira missão na última sexta-feira (29), colocando em órbita um satélite do Ministério da Defesa do país. A informação foi divulgada pelo diretor da agência espacial russa (Roscosmos), Dmitry Rogozin, em seu canal no Telegram.

O foguete Angara 1.2 foi lançado a partir do cosmódromo de Plesetsk, localizado a 800 km ao norte da capital russa Moscou. "O elegante e leve Angara veio para nós e passou com sucesso no teste”, disse Rogozin, que também parabenizou a todos os envolvidos no lançamento bem-sucedido.

As autoridades russas não revelaram muitos detalhes da missão, mas, segundo a agência estatal russa TASS, o foguete carregou ao espaço um artefato militar intitulado Kosmos-2555 que já está enviando sua telemetria corretamente em uma órbita quase polar (quando percorre de um polo a outro do planeta).

A posição da espaçonave foi confirmada pela Força Espacial dos EUA, em uma inclinação de 96,5 graus em relação ao equador e a uma altitude estimada entre 279 a 294 km. Acompanhamentos posteriores observaram a carga útil a uma altitude de 500 km — talvez simulando capacidades para uma futura missão.

O Angara 1.2 consegue lançar até 3,8 toneladas para a baixa órbita da Terra (LEO), apenas uma fração da capacidade de seu irmão, o foguete de carga pesada Angara A5, que pode transportar em torno de 24,5 toneladas de carga útil.

Esse foi o segundo lançamento de um Angara 1.2. Em julho de 2014, um foguete desta série realizou um teste de voo suborbital, levando a bordo um simulador de massa para representar a carga útil. Os lançamentos desse foguete serão comercializados pela International Launch Services, uma empresa conhecida por mediar missões com diversos clientes do mundo.

Vale lembrar que nos últimos meses, a Rússia enfrenta uma série de sanções econômicas desde que invadiu a Ucrânia no final de fevereiro. Recentemente, Rogozin anunciou que o país de deixará de fazer parte do consórcio da Estação Espacial Internacional (ISS).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos