Mercado fechado

Rússia e Ucrânia fecham acordo final para trânsito de gás à Europa

Por Vladimir Soldatkin e Natalia Zinets
.

Por Vladimir Soldatkin e Natalia Zinets

MOSCOU/KIEV (Reuters) - Empresas russas e ucranianas assinaram um acordo final de cinco anos que garante o trânsito de gás da Rússia para a Europa através da Ucrânia, afirmaram nesta segunda-feira a gigante do setor Gazprom, controlada pelo Kremlin, e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

O acordo, cujo anúncio ocorre apenas 24 horas antes do vencimento do atual pacto, evitou uma possível interrupção do fluxo de gás russo para a Europa e ajudou Moscou a prevenir um novo golpe à sua reputação como fornecedora de energia de longo prazo, já afetada neste ano após a contaminação de exportações de petróleo do país para a Europa.

O pacto foi assinado após cinco dias de negociações meticulosas, além de um encontro entre Zelenskiy e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, no início deste mês em Paris.

"Após cinco dias de negociações bilaterais ininterruptas em Viena, as decisões finais foram tomadas e os acordos finais atingidos", disse em comunicado o presidente-executivo da Gazprom, Alexei Miller.

"Os documentos (assinados) entram em vigor a partir de hoje e preveem o trânsito de gás russo via Ucrânia após 31 de dezembro de 2019."

Zelenskiy, que voltou recentemente de uma grande troca de prisioneiros com regiões da Ucrânia controladas por rebeldes, elogiou o acordo, afirmando que ele pode ser prolongado por mais dez anos.

Segundo o presidente, a Ucrânia receberá pelo menos 7 bilhões de dólares durante os cinco anos de vigência do pacto.

(Reportagem de Vladimir Soldatkin e Maria Kiseloyva em Moscou e Natalia Zinets em Kiev)