Mercado fechará em 6 h 44 min
  • BOVESPA

    100.764,62
    +1,02 (+0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,37
    +1,80 (+1,64%)
     
  • OURO

    1.824,30
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    20.913,45
    -345,53 (-1,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    457,48
    -4,32 (-0,94%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.346,13
    +87,81 (+1,21%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.077,00
    +36,50 (+0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4755
    -0,0686 (-1,24%)
     

Rússia busca novos mercados de combustível na África e Oriente Médio

Campo de petróleo da Rosneft na Sibéria

MOSCOU (Reuters) - A Rússia está aumentando o fornecimento de gasolina e nafta para a África e o Oriente Médio, em meio a dificuldades para vender combustível na Europa, enquanto a Ásia já está recebendo volumes maiores de petróleo russo, de acordo com fontes e dados do Refinitiv Eikon.

O movimento provavelmente aumentará a concorrência por clientes asiáticos entre a Rússia e outros grandes exportadores de combustível --Arábia Saudita e Estados Unidos, que são os três principais fornecedores da Ásia.

A União Europeia reduziu lentamente as importações de petróleo e combustível russos desde março e concordou com um embargo total que entrará em vigor até o final de 2022.

Os compradores asiáticos aumentaram rapidamente as compras de petróleo russo, embora a Ásia não seja um mercado natural para o combustível russo porque o continente refina mais petróleo do que precisa e é um exportador líquido de combustível.

Com isso, é fundamental para a Rússia encontrar novos mercados, como a África e o Oriente Médio, a fim de proteger sua participação no mercado global e evitar um declínio mais profundo nas exportações e na produção de petróleo.

"África e Oriente Médio parecem ser as principais opções para os fornecedores russos de derivados de petróleo, então esperamos mais embarques para lá no segundo semestre do ano à medida que o embargo da UE se aproxima", disse um trader envolvido no comércio de derivados russos à Reuters.

As petrolíferas russas aumentaram recentemente o fornecimento de gasolina e nafta para a África e o Oriente Médio a partir do Báltico, disseram traders. Antes das sanções, a maior parte do fornecimento russo para as regiões vinha dos portos do Mar Negro.

Pelo menos cinco cargas transportando cerca de 230.000 toneladas de gasolina e nafta foram fornecidas em maio-junho do porto báltico de Ust-Luga para Omã e para o centro petrolífero dos Emirados Árabes Unidos de Fujairah, com base em dados da Refinitiv.

Nigéria e Marrocos têm sido os principais destinos na África para gasolina e nafta russas nos últimos meses, segundo comerciantes e dados do Refinitiv Eikon, enquanto várias cargas também foram fornecidas ao Senegal, Sudão, Costa do Marfim e Togo.

Os embarques russos de diesel para países africanos atingiram 1 milhão de toneladas desde o início do ano, ante 0,8 milhão de toneladas em janeiro-junho de 2021, com Senegal e Togo como principais destinos, mostraram dados da Refinitiv e cálculos da Reuters.

Apesar dos custos de transporte mais altos, o fornecimento de produtos petrolíferos russos para a África e o Oriente Médio ajuda as tradings a preservar suas margens, já que as opções para revender produtos petrolíferos na Europa foram limitadas devido a sanções, disseram traders.

(Por Reuters)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos