Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.239,02
    -1.587,69 (-2,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Rússa bate novo recorde de mortes diárias por covid-19

·1 minuto de leitura
Funcionário limpa o terminal ferroviário de Kievsky, em Moscou (AFP/Alexander NEMENOV)

A Rússia voltou a bater nesta terça-feira (28) o recorde de mortes por covid-19 em 24 horas, com o país afetado por uma onda da variante delta e com um programa de vacinação que avança lentamente.

Nas últimas 24 horas, o país registrou 852 mortes provocadas pela covid-19, segundo o balanço diário divulgado pelo governo.

O recorde anterior, de 828 óbitos, havia sido registrado na sexta-feira passada (24).

A Rússia é, em termos absolutos, o país da Europa mais afetado pela pandemia com 205.531 vítimas fatais, segundo os números do governo.

A agência estatística russa Rosstat, que utiliza uma definição mais ampla das mortes provocadas pela covid, calculou em mais de 350.000 as mortes vinculadas à pandemia até o fim de julho de 2021.

Desde junho, a Rússia é afetada pela contagiosa variante delta e não consegue conter sua propagação.

O número de novos casos diários supera 20.000. Nesta terça-feira foram registrados 21.559 novos casos.

Apesar da produção de vários fármacos locais, a vacinação avança lentamente e, segundo um balanço do site Gogov, apenas 28,6% da população russa está com a imunização completa.

Além disso, o governo optou por evitar a adoção de medidas sanitárias restritivas para preservar a economia, estagnada há vários anos.

A máscara, que ainda é obrigatória, é pouco utilizada em locais públicos e as recomendações de distanciamento social raramente são respeitadas.

A cidade de Moscou, epicentro da pandemia na Rússia, admitiu na semana passada uma segunda onda da variante delta, após a registrada no início do verão (hemisfério norte), com um aumento de 24% nos contágios e de 15% nas internações em uma semana.

rco/at/jvb/me/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos