Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.402,27
    +1.930,35 (+1,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.354,86
    +631,43 (+1,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,61
    -0,15 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.805,20
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    23.822,92
    +535,82 (+2,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    559,83
    +16,96 (+3,12%)
     
  • S&P500

    4.140,06
    -5,13 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    32.832,54
    +29,07 (+0,09%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.045,77
    -156,17 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    28.249,24
    +73,37 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    13.203,00
    +19,75 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2118
    -0,0548 (-1,04%)
     

Réveillon 2022: prefeito do Rio diz que decisão de realizar ou não festividade será do Comitê Científico

·2 min de leitura

Durante um evento no Palácio da Cidade, em Botafogo, nesta quinta-feira, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), afirmou que será do Comitê Científico do município a atribuição de dizer se haverá ou não o réveillon na capital fluminense. A festa da virada deste ano já foi cancelada em pelo menos 14 capitais brasileiras. A decisão foi justificada pelo avanço da variante Ômicron, que pede cautela com aglomerações. A nova cepa chegou ao Brasil e tem três casos confirmados.

O chefe do executivo municipal pontuou que, antes do dia 20 de dezembro, o martelo já está batido.

— Quem vai dizer se terá a festa de réveillon é o Comitê Científico (da Secretaria municipal) de Saúde. Se houver risco, não faremos — disse Paes, que completou:

— Vamos esperar até que o comitê diga se pode ou não (fazer a festa). Eu disse algumas vezes que é muito mais fácil você cancelar uma festa já programada do que fazer uma festa que não foi programada.

Duas horas após assinar um decreto que ampliava a abrangência do "passaporte da vacina", Paes recuou e afirmou que houve "exagero" no documento desta quinta-feira e que amanhã vai rever a exigência do pedido comprovante vacinal para entrar em táxis — o que também seria estendido a carros de aplicativo — e shoppings da cidade.

Inicialmente, o decreto fez aumentar a lista de estabelecimentos em que é exigida a comprovação da imunização contra a Covid-19, sendo necessária a apresentação do certificado para acessar shoppings, ir a áreas internas ou com cobertura de restaurantes e bares, se hospedar em hotéis e utilizar serviços de transporte individual (confira a lista completa abaixo). A medida já vale a partir desta quinta-feira.

Covid-19: Multas para quem descumprir decreto do 'passaporte da vacina' já começam a ser aplicadas semana que vem

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos