Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,72
    -0,43 (-0,68%)
     
  • OURO

    1.739,60
    +3,30 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    62.786,27
    -637,16 (-1,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.362,53
    -13,25 (-0,96%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,63 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.744,28
    +123,29 (+0,42%)
     
  • NASDAQ

    13.823,00
    +24,25 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7768
    +0,0039 (+0,06%)
     

Queremos ajudar com vacinação em farmácias de 403 municípios, diz presidente da RaiaDrogasil

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A RaiaDrogasil, que nesta semana inaugurou uma parceria com a Prefeitura de São Paulo para oferecer o espaço de unidades da rede para a vacinação da Covid-19, se prepara para abrir o mesmo programa em cidades como Porto Alegre, Campinas e Goiânia. O programa começou com 17 lojas na capital paulista e deve chegar a 30 pontos nos próximos dias, segundo Marcílio Pousada, presidente da companhia. O executivo afirma que a rede pode ajudar porque tem capilaridade, com farmácias em 403 municípios, mas ainda espera o contato das prefeituras, que entram com a vacina gratuita. "Disponibilizamos as lojas e tablets para o nosso time ajudar no cadastramento, montamos a estrutura com cadeiras para quando as filas começarem, e a pessoa da prefeitura faz o gesto vacinal em cada loja. É na mudança de faixa etária do programa que as filas acontecem", diz Pousada. A RaiaDrogasil já atua há anos no mercado de vacinação contra a gripe. E tem todo o interesse de entrar quando esse mercado privado de vacina contra a Covid for liberado no futuro. Mas, por enquanto, Pousada diz que é contra a imunização privada e a antecipação de grupos fora dos prioritários. O executivo afirma que o país precisa de vacinas, e essa função é do governo. "O Brasil tem uma capacidade de vacinar pela própria rede pública e melhor do que a maioria dos países. A nossa função como empresários é apoiar nisso. Primeiro, o esforço geral da sociedade civil tem que ser ajudar os governos do mundo inteiro para vacinar a maior parte da população possível, principalmente, os grupos de risco", afirma.