Mercado abrirá em 2 h 46 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,11
    +0,03 (+0,04%)
     
  • OURO

    1.781,20
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    33.340,99
    -593,95 (-1,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    805,40
    -4,79 (-0,59%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.094,51
    +20,45 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.344,00
    +81,00 (+0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9356
    +0,0071 (+0,12%)
     

Quer vacina? Tem visto? Latinos viajam aos EUA em busca da imunização

·3 minuto de leitura
Vacinação em El Paso, no Texas

Por Anthony Esposito e Cassandra Garrison e Marco Aquino

CIDADE DO MÉXICO/LIMA (Reuters) - "Quer a vacina contra a Covid-19? Tem um visto para entrar nos Estados Unidos? Entre em contato com a gente", diz um anúncio de uma agência de viagens, oferecendo promoções para que mexicanos viagem aos EUA para tomar o imunizante.

Do México até a Argentina, milhares de latino-americanos estão reservando voos para os Estados Unidos para tirar vantagem de uma das mais bem-sucedidas campanhas de vacinação do mundo, enquanto o andamento da vacinação em seus países ainda caminha lentamente.

A América Latina é uma das regiões mais afetadas pela pandemia de coronavírus, com o número de mortos próximo de superar 1 milhão neste mês, e muitos não querem esperar tanto por sua vez na fila da vacina.

Algumas pessoas estão fazendo os trâmites sozinhas, enquanto outras utilizam agências de viagem, que responderam oferecendo pacotes que disponibilizam um compromisso para a vacinação, voos, estadia em hotel e até alguns extras como passeios pela cidade e tours de compras.

Glória Sánchez, de 66 anos, e seu marido, Angel Menendez, de 69, viajaram no final de abril para Las Vegas para tomar a dose única da vacina da Johnson & Johnson's.

"Nós não confiamos nos serviços de saúde pública nesse país", disse Sánchez, agora de volta no México. "Se não tivéssemos viajado para os Estados Unidos, onde eu me senti um pouco mais confortável, eu não teria me vacinado aqui".

Um agente de viagens na Cidade do México organizou a viagem e um associado em Las Vegas conduziu o processo no lado norte-americano, disse Sánchez.

O associado nos Estados Unidos arranjou um horário para que eles fossem vacinados, e então os conduziu a um centro de convenções em Las Vegas onde eles apresentaram seus passaportes mexicanos e receberam suas doses.

"Decidimos transformar a viagem em um passeio de férias e ficamos por uma semana, andamos como loucos, comemos uma comida muito cara, porém boa, e também fizemos compras", disse.

Enquanto a demanda dispara, os preços de voos do México para os Estados Unidos cresceram em média de 30% a 40% desde meados de março, disse Rey Sanchez, que dirige a agência de viagens RSC Travel World.

"Há milhares de mexicanos e milhares de latino-americanos que foram para os Estados Unidos para se vacinar", disse o agente de viagens, acrescentando que os principais destinos tem sido Houston, Dallas, Miami e Las Vegas.

A Reuters não conseguiu encontrar dados oficiais sobre quantos latino-americanos estão viajando para os Estados Unidos em busca de vacina. Viajantes normalmente não declaram "vacinação" como um motivo para a viagem.

A embaixada dos Estados Unidos no Peru informou recentemente aos residentes no Twitter que os viajantes podem visitar os EUA para tratamento médico, incluindo vacinas.

Na Argentina, um anúncio em Buenos Aires detalha o custo estimado para se vacinar em Miami: passagem aérea $2.000, hotel por uma semana $550, comida $350, aluguel de carro $500, vacina $0. Para um total de 3.400 dólares.

Os latino-americanos que viajaram com um visto de turista aos EUA com quem a Reuters falou, disseram que conseguiram ser vacinados com documentos de identidade de seus países de origem.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos