Mercado fechará em 30 mins
  • BOVESPA

    107.757,11
    -3.682,26 (-3,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.507,54
    -800,17 (-1,56%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,38
    -1,59 (-2,21%)
     
  • OURO

    1.762,80
    +11,40 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    42.987,36
    -4.674,97 (-9,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.068,49
    -65,89 (-5,81%)
     
  • S&P500

    4.325,49
    -107,50 (-2,42%)
     
  • DOW JONES

    33.759,67
    -825,21 (-2,39%)
     
  • FTSE

    6.903,91
    -59,73 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    24.099,14
    -821,62 (-3,30%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    14.814,75
    -511,25 (-3,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2771
    +0,0777 (+1,25%)
     

Quer trabalhar na área de TI do Nubank? Veja quais especialistas a fintech busca

·13 minuto de leitura

Não é exatamente uma novidade que as empresas mundo afora estão disputando a tapa profissionais de tecnologia. Apenas no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), até 2024, 421 mil postos de trabalho serão criados no setor no país. No entanto, os cursos superiores da área formam menos de 50 mil profissionais da área anualmente. Ou seja, falta (muita) gente nesse mercado.

Por isso, as empresas precisam ser cirúrgicas na hora de atrair talentos para os seus quadros. E isso envolve não apenas oferecer bons salários e benefícios, mas também planejamento na contratação, o que envolve um alinhamento entre as áreas de TI e Recursos Humanos. E, nesse último, o setor exige cada vez mais profissionais com conhecimentos específicos para que a seleção de candidatos seja certeira.

E é aí que entra o Tech Recruiter, um profissional de RH especializado na contratação de talentos para a área de Tecnologia. Este especialista consegue entender não apenas as chamadas soft skills, mas também as hard skills (conhecimentos específicos em TI), para que o candidato esteja alinhado com os projetos de transformação digital da companhia.

E para explicar como funciona o processo de contratação de profissionais para sua área de TI, o Canaltech conversa semanalmente com Tech Recruiters das maiores empresas do Brasil, além de startups. No papo, eles explicarão como todo processo é realizado, quais os perfis mais buscados e como essas companhias atraem — e retêm —esses talentos.

E na edição de hoje, nós conversamos com Silvia Kihara, Líder Global de Recrutamento de Tecnologia do Nubank, uma das mais badaladas — e valiosas —startups da América Latina. E na entrevista, ela fala como a fintech seleciona os profissionais de TI, quais as especialidades mais buscadas, o processo de recrutamento e muito mais.

Silvia Kihara, Líder Global de Recrutamento de Tecnologia do Nubank (Foto: Divulgação / Nubank)
Silvia Kihara, Líder Global de Recrutamento de Tecnologia do Nubank (Foto: Divulgação / Nubank)


Confira como foi o papo:

Canaltech - Atualmente, como está o ritmo de contratações de profissionais de TI pelo Nubank? A empresa tem planos de crescimento na área para os próximos meses?

Silvia Kihara: Em toda a sua história, o Nubank nunca deixou de expandir seu time de Engenharia de Software. Por sermos uma empresa que tem como essência a entrega de produtos e serviços financeiros digitais, que simplificam e empoderam a vida de milhares de pessoas na América Latina, estamos constantemente buscando por pessoas inovadoras e criativas para trabalharem conosco.

Atualmente, o time de Engenharia de Software do Nubank é composto por mais de mil profissionais, que estão distribuídos entre nossos escritórios no Brasil, México, Colômbia, Argentina, Alemanha e os Estados Unidos e, até o final do ano, esperamos contratar mais de 500 profissionais de Engenharia de Software para atuação em diversas áreas na empresa.

CT - Ao iniciar o processo de contratação de profissionais de TI, como é feito o planejamento entre o RH e a área de Tecnologia do Nubank? Que informações são trocadas entre os dois setores?

S.K.: Todo o crescimento do Nubank é pautado pelas nossas necessidades de negócio, desde o sustento de produtos e operações que já existem, até à expansão constante que vivenciamos. O time de People & Culture trabalha muito próximo das lideranças para mapear não apenas vagas abertas para o curto prazo, mas também contribuir para a estratégia de talento a longo prazo.

Dessa forma, garantimos a atuação como um time de recrutamento estratégico, identificando as necessidades técnicas das equipes do Nubank e buscando não apenas por talentos disponíveis imediatamente no mercado, mas por talentos que podem ser ótimas adições para a empresa a longo prazo.


CT - Que conhecimentos o profissional de RH do Nubank hoje tem para selecionar profissionais de TI para os quadros da empresa? Ele tem acesso a algum categoria de curso para poder selecionar com mais propriedade para essa área?

S.K.: Quando buscamos profissionais de recrutamento para tecnologia no Nubank, existem algumas habilidades e entendimentos que nos chamam a atenção. Posso citar como exemplo o conhecimento de tecnologias em desenvolvimento de software e do atual mercado de trabalho para tecnologia no Brasil e América Latina. É importante que essa pessoa seja muito ágil, tenha capacidade de lidar com processos de alto volume de maneira organizada e orientada por métricas.

Além disso, uma pessoa recrutadora de tecnologia é ponto focal de gestores de área e pessoas candidatas de diversos níveis de senioridade. Por isso, é extremamente importante ter uma comunicação objetiva e ser capaz de construir relacionamentos de confiança para no dia a dia de trabalho.

Nós também desenvolvemos uma metodologia de recrutamento baseada em princípios e comportamentos que balizam a forma que recrutamos e buscamos por talentos no mercado. Essa metodologia, o Nu Recruit, nos ajuda a treinar o time de recrutamento e alinhar com gestores das áreas as expectativas que temos, bem como calibrar e escalar com todas equipes as habilidades e comportamentos esperados.

CT - Atualmente, para quais posições o Nubank mais tem buscado profissionais para a sua área de Tecnologia? Engenheiros, desenvolvedores, Big Data, Inteligência Artificial?

S.K.: Hoje em dia todas as áreas de tecnologia e produto estão crescendo, então temos vagas abertas para Engenharia de Software, Analytics Engineering, Ciência de Dados e Machine Learning, Gerência de Produto e Design. Todas as oportunidades e vagas abertas podem ser encontradas na página de carreiras do Nubank (veja mais abaixo).


CT - E o que Nubank busca hoje, de forma geral, em um profissional de TI? A empresa prefere investir em um profissional mais, por assim dizer, pronto? Ou opta por alguém que possa ser moldado dentro de casa? Ou há espaço para esses dois perfis?

S.K.: Hoje, o Nubank contrata pessoas engenheiras de software de todos os níveis de senioridade e experiência. Para cada nível, há expectativas em relação ao desenvolvimento e impacto no negócio, bem como estruturas capazes de apoiar o aprendizado e a evolução profissional, com muitas oportunidades internas de atuar em times com escopos distintos.

Para pessoas mais experientes, há oportunidades em gestão de times e pessoas, onde há chance de construir, crescer e desenvolver equipes, orientando entregas e aprimorando excelência técnica dentro das áreas. Também há muitas oportunidades para especialistas que não desejam seguir carreira de gestão, mas que podem atuar na Engenharia de Software do Nubank apoiando os times para escalar operações, aprimorar conhecimentos e melhores práticas.

Para pessoas que estão começando suas carreiras agora, oferecemos um período de integração mais longo, onde elas podem aprender mais sobre o mercado que o Nubank atua, os produtos e tecnologia, bem como treinar e conseguir se preparar para atuar dentro das áreas.

É importante lembrar que independentemente do nível de senioridade, o Nubank não exige que as pessoas já saibam programar com as tecnologias utilizadas no dia a dia da empresa, há muito espaço para aprendizado e estruturas que apoiam Nubankers nessa jornada.


CT - De forma geral, como funciona o processo seletivo de um profissional da área de Tecnologia no Nubank? Por quantas etapas o candidato passa antes de ser contratado?

S.K.: Queremos profissionais que se identifiquem com o que acreditamos, busquem grandes desafios e topem se juntar à nossa revolução. Para isso, criamos um processo seletivo que reflita nossos valores e seja uma boa experiência para quem se candidata a uma vaga no Nu. Funciona assim:

Inscrição e avaliação de currículo: o primeiro passo é se inscrever no processo seletivo para alguma de nossas vagas abertas, que são sempre atualizadas na página de carreiras. No espaço, profissionais conseguem importar dados do perfil no LinkedIn, currículo, entre outras fontes e responder às informações que necessárias para começar a participar do processo seletivo – incluindo uma sobre por que ela gostaria de trabalhar no Nubank.

Nessa etapa, buscamos entender se a pessoa já teve contato com tecnologias ou problemas similares com os que estamos trabalhando. Talvez a pessoa não tenha conhecimentos em Clojure, por exemplo, mas passou por desafios semelhantes aos que temos aqui. Também olhamos a motivação das pessoas. Por isso, é importante que as interessadas tenham atenção e sinceridade na hora de responder por que quer trabalhar na empresa. Afinal, é importante que os desafios do Nubank batam com o que a pessoa interessa procura.

Entrevista virtual: a pessoa aprovada na fase do currículo passa por uma entrevista remota – que pode ser feita tanto por uma pessoa de recrutamento de tecnologia quanto por alguém do time de Engenharia de Software. Nesse momento, buscamos:

  • Entender quem a pessoa é; o que ela está procurando profissionalmente; quais suas habilidades técnicas; o que ela já fez e o que ainda quer fazer;

  • Explicar como aplicamos o paradigma funcional;

  • Contar como é a dinâmica de times multifuncionais;

  • Compreender como ela enxerga a questão de diversidade no trabalho;

Mais do que uma entrevista, essa é uma conversa transparente entre nós e a pessoa. Um momento para conhecê-la melhor e compartilhar quem somos e quais nossos desafios.

Exercício técnico: quem passa na entrevista remota é convidada a realizar um exercício técnico. As atividades variam conforme o perfil da vaga, mas o objetivo de todos é o mesmo: simular um pouco da rotina e aproximar a pessoa do dia a dia no Nubank. Geralmente, as pessoas candidatas têm cerca de 10 dias para finalizar a atividade.

Pair Programming e Arquitetura: Sendo aprovada no exercício técnico, a pessoa é convidada para duas sessões diferentes, onde ela passará por um exercício de pareamento com pessoas do time de Engenharia de Software e um exercício colaborativo sobre Design de Arquitetura.

Nesta etapa, queremos conhecer melhor a pessoa, entender como ela trabalha com pares, ouvir suas ideias e ver como ela se comporta em situações muito semelhantes às vividas por Nubankers diariamente.

Passando por essas fases técnicas, as pessoas candidatas têm mais uma conversa com nosso time de recrutamento e pessoas gestoras do time de Engenharia do Nubank, onde abordamos questões de colaboração, comportamento e expectativas de trabalho.

Oferta e onboarding: Depois de todas essas etapas, quem é aprovado no processo recebe uma oferta de trabalho. Aceitando, combinamos o dia para ela começar no Nubank, quando terá um momento de integração de cultura, do negócio e das tecnologias utilizadas na empresa.

Queremos que todo mundo que comede no Nu tenha todas as ferramentas necessárias para contribuir com nossos desafios – que são muitos!


CT - Uma pesquisa recente da HR Tech Vulpi aponta que 75% dos profissionais de TI abandonam um processo seletivo quando há algum teste técnico muito longo no mesmo. Logo, como o Nubank pode equacionar essa questão: a necessidade de conhecer as qualificações dos candidatos, sem precisar aplicar testes demasiadamente longos?

S.K.: Esse é um ponto para o qual sempre estamos prestando muita atenção. Sabemos que para garantir que estamos trazendo pessoas que possam contribuir para o crescimento do Nubank, precisamos identificar suas habilidades e competências e onde elas podem ter maior impacto dentro da nossa empresa. Para garantir uma ótima experiência de candidatura em vagas para o time de Engenharia do Nubank, temos uma equipe de Candidate Experience, que é o ponto focal de todo mundo que passa por um processo seletivo conosco.

Essas pessoas garantem comunicação transparente e constante com pessoas candidatas, bem como agilidade nos processos, para podermos nos adaptar às expectativas de quem está pensando em vir trabalhar no Nubank, sem deixar de ter um processo onde conseguimos analisar em detalhe as características técnicas de quem vem trabalhar conosco.


CT - Como o Nubank vem lidando com a escassez de profissionais de TI no mercado? Quais os cuidados a empresa vem tomando para acertar no perfil do profissional contratado?

S.K.: Empresas de tecnologia ao redor do mundo todo estão passando por esse desafio de encontrar a quantidade de pessoas necessárias para preencher as vagas existentes no mercado. Aqui no Nubank vemos que um plano de recrutamento estratégico, aliado às práticas de desenvolvimento e retenção de profissionais de tecnologias é essencial para garantir que não estamos olhando apenas para profissionais disponíveis imediatamente no mercado, mas também para a inclusão e desenvolvimento dessas pessoas a longo prazo, sempre com um olhar de diversidade e inclusão, para garantir que estamos crescendo e aumentando a representatividade de grupos historicamente pouco representados na tecnologia.

Por isso, desenvolvemos desde 2018 projetos de recrutamento e desenvolvimento como o Yes, She Codes, que busca fomentar a presença de mulheres no mercado de tecnologia - no momento, o projeto está com inscrições abertas (até dia 8 de setembro de 2021). Além disso, esse ano também começamos o Nós Codamos, um evento de contratação para pessoas negras que trabalham com Engenharia de Software, que contratou mais de 60 profissionais em diversos níveis de senioridade em sua primeira edição.


CT - E como o Nubank trabalha com a retenção de talentos em uma área tão disputada e onde o índice de turnover é considerado alto?

S.K.: O Nubank sempre contratou para o longo prazo, é um dos nossos princípios de contratação que se refletem em toda a jornada de uma pessoa na empresa. Para garantir que as pessoas fiquem no Nubank, além de oferecer propostas competitivas e sempre atualizadas de remuneração, todo mundo que entra para as áreas de tecnologia tem na sua proposta de trabalho uma oferta de equity e ajustes frequentes baseadas em desempenho.

Além disso, oferecemos um ambiente colaborativo e de alta performance, onde as pessoas podem se desenvolver e atuar em diferentes times, com propósitos e escopos diversos. Dessa forma, conseguimos ter um ambiente de trabalho flexível para pessoas com diferentes pretensões de carreira.


CT - Com o trabalho remoto ampliado devido à pandemia de Covid-19, abriu-se espaço para que as empresas contratem profissionais de todas as partes do país. O Nubank trabalha com esse modelo de Anywhere Office? Em caso positivo, ela vale também para profissionais do exterior ou fica restrito ao Brasil?

S.K.: Durante um momento tão incerto, delicado e sem precedentes, o Nubank teve que se adaptar rapidamente à realidade de trabalho remoto. Nós nos esforçamos muito para que todas as pessoas que fazem parte do nosso time tivessem o apoio necessário para seguirem trabalhando com segurança.

Esse momento também nos trouxe a oportunidade de olhar para talentos de uma maneira global e trazer para o time líderes e especialistas técnicos que trazem consigo conhecimentos únicos necessários para que o Nubank chegue em novos patamares. No momento, seguimos trabalhando remotamente e só iniciaremos retorno aos escritórios quando for seguro. Atualmente, estamos refinando o modelo de trabalho para o futuro, considerando as necessidades do Nubank, bem como a segurança de todo mundo que faz parte do time.


CT - Hoje, qual a remuneração média oferecida pelo Nubank nos níveis Júnior, Pleno e Sênior em sua área de TI? Os colaboradores também têm pacote de benefícios?

S.K.: Para garantir que as pessoas se interessem e fiquem no Nubank, além de oferecer propostas competitivas e atualizações de salário, todo mundo que entra para a área de tecnologia da empresa tem na sua proposta de trabalho uma oferta de equity, e ajustes frequentes de acordo com a performance. Além disso, temos um pacote de benefícios que contempla saúde, alimentação & bem-estar, e aprendizado. Oferecemos cursos de línguas subsidiados pela empresa.

Também temos o NuCare (desde 2018), um canal de suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana, para assistência psicológica, social, financeira ou legal, que está disponível para todos os Nubankers e também os seus dependentes. Em abril, estendemos esse benefício também para os pais e mães de Nubankers que necessitem de suporte.

E o Nubank está com diversas vagas abertas. Acesse a página de carreiras da empresa, veja quais oportunidades se encaixam em seu perfil profissional e boa sorte!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos