Mercado abrirá em 1 h 15 min
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,25
    -0,11 (-0,15%)
     
  • OURO

    1.783,50
    -2,00 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    49.323,21
    -256,16 (-0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.287,77
    -17,35 (-1,33%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.325,42
    -11,63 (-0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.254,86
    +257,99 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.725,47
    -135,15 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    16.329,75
    -62,50 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2698
    -0,0043 (-0,07%)
     

Quer baixar apps por fora da App Store? Compre um Android, diz Tim Cook

·2 min de leitura

Se há uma coisa que a Apple defende com todas as forças, é a ideia de que baixar aplicativos no iPhone por fora da App Store é extremamente perigoso. Novamente, nesta terça-feira (9), o CEO da empresa Tim Cook reforçou essa ideia, mas deu uma sugestão peculiar aos consumidores que defendem a prática de instalar apps por fontes paralelas: considere comprar um celular Android.

Para o chefão da Apple, existe, sim, a liberdade de escolha para os consumidores — e isso acontece no momento da compra. Cook diz que o usuário pode escolher fazer “sideload” (expressão em inglês que significa instalar programas de fontes desconhecidas) no momento que entra em uma loja de eletrônicos para escolher um novo celular.

“Eu acho que as pessoas têm uma escolha hoje. Se quer baixar apps por fora da App Store, você pode comprar um smartphone Android”, disse a um repórter do The New York Times, durante o DealBook Summit. “Essa escolha existe quando você vai até uma loja de eletrônicos. Se [baixar apps de fora da loja oficial] é importante para você, então compre um Android”, completou.

Baixar aplicativos por fora da App Store está em discussão há muito tempo no ecossistema Apple. Consumidores e desenvolvedores que defendem maior liberdade de escolha para os usuários advogam pela ideia de utilizar o celular da forma que preferirem, enquanto a Apple defende as restrições do iOS supostamente por se tratar de “proteção” para os consumidores.

iPhones são como carros

“Do nosso ponto de vista, seria como se eu fosse um fabricante de automóveis dizendo [a um cliente] para não colocar airbags e cintos de segurança no carro. Ele nunca pensaria em fazer isso nos dias de hoje. É muito arriscado. E, portanto, não seria um iPhone se não maximizasse a segurança e a privacidade”, argumentou o CEO.

Para defender seu ponto, a Apple calculou o risco de ameaças de ambos os ecossistemas. Segundo esses papeis, divulgados em outubro, aparelhos Android são atacados entre 15 e 47 vezes mais que um iPhone — e a causa disso seria o sideloading.

Android permite sideloading

No Android, embora o Google incentive o download de fontes oficiais, usuários podem baixar um aplicativo por fora da loja com bastante facilidade — basta autorizar a instalação no sistema operacional e pronto. Essa simplicidade, porém, de fato favorece a atuação de criminosos, já que bastaria um aplicativo mal-intencionado se passar por outro para efetuar um novo golpe.

As restrições do iPhone foram grandes o suficiente para levar a empresa para os tribunais nos últimos meses, como na disputa levantada pela Epic Games em vários países pelo mundo. Alguns desenvolvedores veem o controle da empresa como exercício de monopólio, ainda mais se for considerar que pagamentos feitos em aplicativos distribuídos pela App Store rendem comissões à Apple.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos