Mercado fechado

Quer aprender a programar? Jogue este videogame no estilo Super Nintendo

·3 min de leitura

Existem muitas maneiras de aprender a codificar: fazendo aulas, lendo livros ou assistindo aos tutoriais disponíveis na internet. Outra opção, criada pela empresa Twilio, é jogar videogame. Desde 2013, a empresa vem lançando versões do jogo chamado TwilioQuest , originalmente projetado para demonstrações em eventos com desenvolvedores. Trata-se de um jogo de RPG que lembra os clássicos da era do Super Nintendo, e permite que os jogadores aprimorem suas habilidades em linguagens como Python e JavaScript e em ferramentas de programação, à medida que os personagens avançam de nível.

“Sendo um nerd que definitivamente jogou um monte de Chrono Trigger e outros clássicos da era de 16 bits, a metáfora de um RPG onde você poderia subir de nível no seu próprio ritmo parecia uma ideia muito útil para desenvolver um treino”, diz Kevin Whinnery, o criador do jogo e chefe da equipe TwilioQuest.

(Crédito: Cortesia da Twilio)

Agora a Twilio está lançando a versão 3.2 do jogo, gratuita para sistemas Windows, Mac e Linux. A nova versão apresenta gráficos aprimorados, e um novo nível em que os jogadores podem aprender a usar as interfaces de programação de aplicativos cujo código se comunica com sistemas em nuvem, como o oferecido pela Twilio. Esse nível, chamado The Arcane Academy of API Arts, é inspirado em escolas de magia como nas séries Harry Potter, The Magicians e Earthsea.

“Os desenvolvedores agora podem se apoiar nos ombros de gigantes”, afirma Jeff Lawson, CEO da Twilio.

A nova versão do jogo também inclui ferramentas que permitem aos jogadores criar suas próprias extensões para download no jogo — assim, os criadores do TwilioQuest esperam que as pessoas construam seus próprios níveis para ensinar habilidades de programação adicionais e possivelmente até outros tipos de material. A Twilio, criadora do jogo, trabalha em parceria com a Cloudinary, empresa de tecnologia na nuvem, desenvolvendo extensões para ensinar os jogadores a usar APIs de processamento de vídeo.

(Crédito: Cortesia da Twilio)

O jogo é usado em algumas escolas, do ensino médio ao ensino superior, como uma maneira divertida de ensinar habilidades de codificação, e alguns alunos jogavam como uma forma lúdica de estudar enquanto estavam em casa durante a pandemia. A empresa estima que as sessões de alunos no TwilioQuest mais do que dobraram no ano passado.

Mas alguns usuários ativos também são profissionais que buscam adicionar novas linguagens de programação a seus repertórios, o que leva a provocações de colegas de trabalho e questionamentos dos chefes quando eles estão aparentemente jogando no escritório.

A popularidade do TwilioQuest é naturalmente benéfica para a Twilio — que fornece uma plataforma para os programadores automatizarem tarefas como envio de textos, e-mails e chamadas telefônicas — conforme os desenvolvedores se familiarizarem com o uso desses sistemas. O enredo um tanto irônico do jogo captura o espírito dos iniciantes na Internet, desafiando os jogadores, enquanto se espalha de boca em boca e ajuda a atrair desenvolvedores promissores.

(Crédito: Cortesia da Twilio)

“O poder da codificação é tão potente que atraiu a atenção daqueles que buscam avidamente expandir e zelosamente defender seu próprio poder”, diz o resumo da trama no site da Twilio. “Uma organização sombria, conhecida apenas como Legacy Systems, planeja explorar sua riqueza e privilégios em uma trama sinistra para dominar a população livre da Nuvem.”

Mas a empresa diz que o jogo — em última análise produzido somente por uma equipe de seis pessoas — também promove sua missão de capacitar desenvolvedores. “Nossa missão é liberar a imaginação dos jogadores”, destaca Lawson.

O post Quer aprender a programar? Jogue este videogame no estilo Super Nintendo apareceu primeiro em Fast Company Brasil | O Futuro dos Negócios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos