Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,43
    -4,06 (-4,86%)
     
  • OURO

    1.651,70
    -29,40 (-1,75%)
     
  • BTC-USD

    18.939,75
    -171,46 (-0,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,61
    -9,92 (-2,23%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,27 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.933,27
    -214,63 (-1,18%)
     
  • NIKKEI

    27.153,83
    -159,30 (-0,58%)
     
  • NASDAQ

    11.388,00
    -177,50 (-1,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0976
    +0,0649 (+1,29%)
     

Quer abrir seu negócio? Agora pode ficar mais fácil; entenda

·1 min de leitura
Texto segue para sanção presidencial.
Texto segue para sanção presidencial.
  • Medida Provisória que simplifica abertura de empresas é aprovada na Câmara;

  • Texto prevê a emissão automática de licenças e alvarás de funcionamento para atividades classificadas como de risco médio;

  • Drei examinará pedidos de autorização para nacionalização e implementar medidas de desburocratização;

A Medida Provisória (MP) 1040/21, que traz uma série de medidas para simplificar a abertura de empresas e o seu funcionamento, ontem, quinta-feira (05/08), foi aprovada pela Câmara dos Deputados. Na noite da quarta-feira passada, os deputados rejeitaram as emendas aprovadas pelo Senado e, dessa forma, o texto segue para sanção presidencial.

O relator da MP na Câmara, deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), ao recomendar a rejeição das mudanças propostas pelos senadores, afirmou que nenhuma das mudanças parecia oportuna. “Como a volta da discussão sobre subsídios cruzados entre consumidores de energia elétrica ou exclusões propostas pelo Senado como sendo inconstitucionais”, argumentou o parlamentar.

Leia também:

A proposta prevê a emissão automática, sem avaliação humana, de licenças e alvarás de funcionamento para atividades classificadas como de risco médio. Caso não haja legislação estadual, distrital ou municipal específica, valerá a classificação federal disponível na plataforma da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim).

O Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (Drei) agora terá suas atribuições ampliadas, como o poder de examinar pedidos de autorização para nacionalização e articular órgãos e integrar procedimentos no registro de empresas. O departamento poderá também propor programas de cooperação e planos de ação, coordenar ações, desenvolver sistemas e implementar medidas de desburocratização, com a aprovação do texto.