Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.374,42
    +608,30 (+1,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Quem são os bilionários por trás das marcas mais valiosas

·3 minuto de leitura
Jeff Bezos, founder of Amazon, attends a company event in New Delhi, India, January 15, 2020. REUTERS/Anushree Fadnavis
Em fevereiro deste ano, Jeff Bezos anunciou que irá deixar o posto de CEO da companhia
  • Bezos começou a vida instalando encanamentos e cuidava de gados

  • Ele também chegou a trabalhar no McDonald 's no final do colégio

  • Cook assumiu o comando da Apple em 2011 após a morte de Steve Jobs

Jeff Bezos é a cara, o coração e a alma da Amazon, a empresa mais valiosa do mundo, segundo levantamento da Kantar.

Hoje homem mais rico do mundo com 193 bilhões de dólares, o CEO da Amazon fez muitas outras atividades antes da fama. Bezos já pegava no batente desde criança, quando instalava encanamentos e cuidava dos gados na fazenda da família no Texas. Na garagem de seus pais, montava equipamentos eletrônicos e até desmontou seu próprio berço quando ainda era um bebê.

Nas férias de verão, administrava seu acampamento de negócios, o The Dream Institute, onde incentivava leituras para crianças e adolescentes.

Ao se mudar para a Flórida, trabalhou no McDonald 's no final do colégio e se formou com uma das melhores notas da turma de ciências da computação e engenharia elétrica na Universidade de Princeton.

Com moral, chegou a Wall Street para trabalhar em companhias do setor financeiro em 1986. Aos 30, já era quarto vice-presidente da D.E. Shaw.

Após 8 anos, decidiu largar tudo para seguir seu sonho de abrir o próprio negócio. Em 1994, munido de 3 computadores em sua garagem em Seattle, abriu uma livraria virtual: a futura Amazon.

A inspiração para o nome veio do dicionário. Para Bezos, era importante que o nome começasse com “A”, já que na era pré-Google as empresas eram listadas em sites de busca em ordem alfabética.

Dois anos depois, ele já fazia 20 mil dólares por semana. Foi só o começo daquele que viria a ser um gigante da tecnologia, dos negócios e do espaço.

Em fevereiro deste ano, Jeff Bezos anunciou que irá deixar o posto de CEO da companhia (cargo que ficará com Andy Jassy) - seguirá como presidente do conselho da empresa - e que irá focar suas atenções na questão espacial. O fundador da Amazon disse que estará a bordo de um foguete da Blue Origin - também fundada por ele - no mês que vem para realizar o primeiro voo espacial humano.

Bezos afirmou que a façanha ocorrerá assim que ele deixar o cargo de presidente-executivo da Amazon e que seu irmão, Mark Bezos, estará com ele no foguete turístico que leva o nome de Alan Shepard, o primeiro americano a ir ao espaço, em 1961.

Tim Cook, o CEO 'reservado' da Apple

Apple CEO Tim Cook arrives to the global premiere for Apple's
Em 2014, Tim Cook, sempre muito reservado sobre sua vida particular, revelou que é gay, sendo o primeiro CEO da Fortune 500 a fazer isso

Há 10 anos, quando assumiu o comando da Apple após a morte do fundador da empresa, o lendário Steve Jobs, Tim Cook sabia que estava diante do maior desafio de sua vida. E podemos dizer que executou bem a tarefa.

Com uma fortuna estimada em pouco mais de 1 bilhão de dólares, Cook chegou à Apple em 1998 como vice-presidente de Operações Globais, passando para VP de Vendas Globais. Ele assumiu o cargo máximo na empresa da maçã em agosto de 2011, quando Jobs tirou mais uma licença por causa do câncer que iria matá-lo em outubro daquele ano.

Desde que é o CEO da gigante de tecnologia, Cook fez com que as receitas e lucros dobrassem entre 2011 e 2020, com o valor da companhia passando de 348 bilhões de dólares para quase 2 trilhões de dólares no período.

Cook também encabeçou um movimento importante de mudança de comportamento empresarial, pedindo reformas de política da vigilância internacional e doméstica, segurança cibernética e preservação ambiental.

Em 2014, Tim Cook, sempre muito reservado sobre sua vida particular, revelou que é gay, sendo o primeiro CEO da Fortune 500 a fazer isso. 

Além da Apple, Cook também está nos conselhos da Nike e da NFL.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos